<!-- eestatísticas -->Brasileiros estudam por mais tempo, revela Pnad

O número médio de anos de estudo entre os brasileiros com mais de 25 anos de idade cresceu 1,1% entre 1992 e 2002, segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (Pnad 2002), divulgada na semana pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). As crianças com 10 anos de idade ou mais passaram, neste período, a ter mais 1,9 ano de estudo além do que tinham nos dez anos anteriores.O aumento da escolarização na infância, a partir da segunda metade dos anos 90, já mostra seus reflexos também entre os jovens que hoje estão com 20 a 24 anos. Na comparação por faixa etária, esta é a faixa com o maior crescimento no número médio de anos de estudo, passando de 6,3 para 8,2 anos.A rede pública de ensino atendia 81,5% dos estudantes em todo o País a partir dos 5anos de idade em 2002. No ensino superior, 28,2% estavam em instituições públicas; no ensino médio eram 83,3%; no fundamental, 89,7%; no pré-escolar, 74,8%.Diferenças regionaisNa Região Sudeste, apenas 19,4% dos estudantes freqüentavam universidades públicas. No Nordeste o índice era de 49,4%. O menor porcentual de estudantes em escolas públicas no ensino pré-escolar (69,7%) foi o da Região Centro-Oeste.O Sudeste permaneceu com o nível de instrução mais elevado do País entre 92 e 2002 (6,9 anos), seguida pela Região Sul (6,7) e pelo Centro-Oeste (6,5). O Nordeste ficou com 4,9 anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.