<!-- eestatísticas -->Alckmin diz que SP supera metas de educação e critica ministro

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), reagiu às críticas que o ministro da Educação, Cristovam Buarque, fez na quarta-feira ao Estado, classificando São Paulo como campeão do Mapa da Exclusão Educacional. "Fico triste com essas coisas porque a nossa postura tem sido a de colaborar, a de ajudar o Brasil com as reformas, ser parceiro. E a gente percebe que a reciprocidade é essa partidarização", disse Alckmin nesta quinta.Ao falar da "partidarização", o governador continuou com o desabafo: "Toda a semana vem aqui um ministro para falar mal do meu governo, vai embora e ainda corta a verba do Estado. Isso não é possível."Sem verba do MECO governador citou que duas escolas técnicas no Estado, uma situada em Itapetininga e outra no bairro de Sapopemba, na Zona Leste da Capital, ficaram fechadas o ano inteiro por falta de repasse de verbas do Ministério da Educação. "Em outras duas escolas, uma na Zona Sul e outra no Capão Redondo, os convênios também foramsuspensos", destacou.Ao falar dos dados divulgados pelo ministro, o governador de São Paulo disse que "são comparações absurdas", porque "quando você compara número absoluto, ocorre equívoco, pois São Paulo tem quase um quarto da população brasileira, ou seja quase 38 milhões de pessoas".Para rebater os dados divulgados pelo Ministério da Educação, Alckmin disse que no Estado 99,8% das crianças estão matriculadas no Ensino Fundamental, quando a meta brasileira neste segmento que é de 95%. No Ensino Médio, disse, o Estado tem 95% de crianças matriculadas, enquanto a média brasileira é de 85%.SecretárioSegundo o secretário estadual da Educação, Gabriel Chalita, os números divulgados pelo ministro "não existem". Para ele, Cristovam quis proteger a prefeita Marta Suplicy porque as crianças fora da escola têm entre 4 e 7 anos, ou seja, precisariam de vaga na educação infantil, atribuição da Prefeitura."Ou ele (Cristovam Buarque) está mal informado ou com má-fé. Acho muito estranhas as declarações do ministro e creio que ele quis poupar a prefeita, que é do mesmo partido". De acordo com Chalita, no ensino fundamental 100% das crianças estão na escola e no ensino médio, 95%.

Agencia Estado,

04 de dezembro de 2003 | 12h32

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.