<!-- eestatísticas -->42% das vagas nas particulares estão ociosas

As instituições privadas de ensino superior concentram a maior parte das vagas no País e também o maior número de lugares ociosos nas suas salas de aula.O Censo do Ensino Superior 2003 mostrou que 42,2% das vagas oferecidas nos processos de seleção do ano passado não foram preenchidas nessas instituições. Nas universidades federais essa ociosidade é de apenas 0,7% e nas estaduais, de 2,8%.A primeira impressão é de que podem estar sobrando vagas no País. Neste ano, pela primeira vez a oferta nos vestibulares (2 milhões) foi maior do que o número de jovens que terminaram o ensino médio (1,9 milhão).Na realidade, no entanto, cerca de 3 milhões de pessoas que tentaram entrar no ensino superior não conseguiram."Não podemos dizer que temos cursos demais. Com apenas 9% dos jovens de 18 a 24 anos na faculdade, temos cursos de menos. Na verdade, o que precisamos é melhorar o acesso", disse o presidente do Instituto Nacional de Estatísticas e Pesquisas em Educação, Eliezer Pacheco.A análise do MEC aponta algumas possíveis razões para a ociosidade de vagas. Uma delas seria o excesso de oferta em algumas regiões do País em detrimento de outras - o Sudeste, por exemplo, concentra 49,3% das matrículas do País.Outra possibilidade é a concentração em algumas áreas do conhecimento. Apenas seis áreas - administração, direito, pedagogia, engenharia, letras e comunicação - respondem por 52,7% das vagas oferecidas, e são justamente as áreas onde há maior ociosidade."Acreditamos que, com os problemas econômicos que o País atravessou, a diminuição na capacidade de pagamento das pessoas certamente influenciou essa ociosidade", disse o diretor de avaliação e estatística do ensino superior, Dilvo Ristoff.   mais estatísticas de educação

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.