<!-- eeducação -->MEC quer 900 "escolas ideais" como modelo em 29 cidades

Com a promessa de garantir educação de qualidade a todos os alunos, o governo lança nesta quarta-feira a Escola Ideal. O projeto beneficiará inicialmente 900 escolas em 29 municípios com Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) baixo e com 10 mil a 15 mi habitantes. A escola deverá ter boa instalação física, laboratório de informática, alunos aprendendo e professores capacitados e bem remunerados.O Ministério da Educação remanejou R$ 90 milhões do orçamento deste ano para atender os municípios, anunciou o secretário-executivo do MEC, Rubem Fonseca. Segundo ele, no próximo ano o governo pretende atender mais de 130 municípios e avisa que só participarão do programa se assinarem um pacto de compromisso com a qualidade do ensino e manutenção do programa.Para evitar que o projeto seja interrompido com as possíveis trocas nas prefeituras, por causa da eleição em 2004, o governo exige que o pacto seja subscrito pelo atual prefeito, por todos os vereadores, pela associação comercial, entre outros atores políticos e sociais.Bolsa para professorPara o projeto-piloto, o MEC escolheu 29 municípios nos Estados do Piauí, Maranhão, Ceará, Paraíba, Mato Grosso do Sul e de Goiás e Santa Catarina. Cada município deverá receber R$ 3 milhões para implantar a escola ideal, mas em contrapartida desembolsará o valor da bolsa a ser paga ao professor de acordo com o rendimento dos alunos e empenho dele em ensinar.Os municípios foram selecionados segundo a motivação da prefeitura em melhorar o ensino fundamental e médio. O secretário-executivo diz que os prefeitos são de vários partidos, inclusive do PT, e garante que o projeto "representará um vigoroso estímulo à fixação da população" no interior do País, o que reduzirá a pressão sobre os serviços públicos dos maiores municípios.Fonseca admite ser impossível criar escola ideal em todas cidades. É um trabalho para 15 anos. "Se ao final do governo Luiz Inácio Lula da Silva conseguirmos criar mil escolas ideais, será uma vitória."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.