Educadoras do interior paulista são acusadas de maus-tratos

Uma professora e a diretora de uma escola de ensino fundamental na cidade de Marília, interior paulista, estão sendo acusadas de castigar os alunos. As denúncias dão conta de que as duas aplicam corretivos que vão desde colocar sacos de tecido na cabeça das crianças até mandá-las apagar a lousa com a língua. As crianças estão na primeira e quarta séries e possuem entre sete e nove anos de idade.O colégio fica no bairro Chico Mendes e, segundo as mães, desde o início do ano, os filhos têm reclamado do comportamento da professora e da diretora. As duas negam as acusações. O caso está sendo investigado pela Secretaria Municipal de Educação e também pela Promotoria da Infância e Juventude. No entanto, de acordo com o promotor que investiga os fatos, já existem provas dos maus-tratos praticados pela diretora e pela professora contra os estudantes. Ele já entrou com pedido de afastamento das duas durante as investigações. A Justiça ainda não se pronunciou sobre o assunto.

Agencia Estado,

06 de novembro de 2002 | 10h01

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.