<!-- ecarreira -->Turismo aquece mercado para profissionais da cultura

A Banda Holliday, de São Paulo, está afinando os instrumentos e intensificando os ensaios para embarcar, em duas semanas, no navio Holliday Dream, rumo ao Mediterrâneo, para temporada de trabalho de cinco meses.Em São Bernardo, as estudantes Mayte Ugeda e Úrsula Galhego (foto) fazem curso técnico de Turismo. Estão atentas às oportunidades de trabalho. No roteiro do curso que fazem, no Colégio Anchieta, há aulas de maquiagem, entretenimento, performances e mágica. Instituições de ensino do País lançam também programas de especialização para executivos na área.Os três exemplos não são aleatórios. Disposto a investir no turismo, considerado um dos setores de grande potência de geração de empregos no País, o governo estimula medidas para o incremento desse tipo de negócio.OportunidadesO mercado mundial está entusiasmado com o ramo. Além das profissões técnicas e executivas, ganham espaço os trabalhadores da área cultural.Também em São Bernardo, houve a reabertura da Estrada Velha do Mar e a volta das filmagens dos Estúdios Vera Cruz. Neste segundo caso, a prefeitura espera a contratação de 600 profissionais no segundo semestre para atender a uma gravação internacional, que terá a participação do ator americano Andy Garcia.Com este cenário, o tecnólogo de turismo tem muito a ganhar e possibilidades ampliadas de trabalho, apostam os coordenadores do curso.?O profissional técnico em turismo pode abrir um bufet, animar festas infantis e até divertir crianças portadores de câncer em hospitais?, diz a professora Lívia Rodrigues, do Colégio Anchieta. ?É uma opção muito atraente para o atual mercado de trabalho.?Música e planejamento?Detalhes tão pequenos de nós dois são coisas muito grandes para esquecer.? Imaginou essa canção de Roberto Carlos com sotaque espanhol? A cantora brasileira Iris Salvagnini, de 31 anos, já a tem de cor.Vai cantá-la em muitas noites, durante cinco meses, a bordo de um cruzeiro pelos mares do Mediterrâneo. Não é férias. Ela embarca no dia 17, como prevê seu contrato de trabalho.?Tenho a certeza de um trabalho contínuo, o que é raro para cantores e músicos no Brasil, e a oportunidade de conhecer vários países?, comenta Iris, ao explicar os motivos que a levam ao trabalho em alto mar. ?Na última temporada que fiz pelo Caribe, depois de seis meses, juntei dinheiro para comprar um carro?, lembra, ao dizer que é preciso planejamento.Agora, ela vai com a expectativa de organizar o orçamento e, ao voltar, lançar o seu primeiro CD. ?São mais horas de vôo no meu trabalho, o que ajuda a derrubar muitos tabus e nos dá segurança?, diz. E alerta. ?Não é só chegar e cantar. É preciso gostar de promover o entretenimento.?  leia também  Eventos, aventura e incentivo em alta     Empreendimentos têm boa taxa de contratação  

Agencia Estado,

09 de junho de 2004 | 16h25

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.