<!-- ecarreira -->Primeiros cursos de Economia e Marketing via internet começam em fevereiro

Os primeiros cursos de graduação em Economia e Marketing via internet autorizados pelo Ministério da Educação começam a funcionar em fevereiro. A Rede Brasileira de Ensino a Distância (UVB), consórcio formado por seis universidades e quatro centros universitários, está lançando também cursos de Administração (o segundo via web no Brasil) e Secretariado Executivo (inédito), com processo seletivo já marcado para novembro. São alternativas importantes para a carreira de quem precisa conseguir seu diploma.?Estamos pensando naquele profissional que está trabalhando mas ainda precisa da graduação para crescer na empresa?, explica o diretor geral da UVB, René Birocchi. ?Esse público quer cursar Administração ou Marketing, mas com um conteúdo adequado à realidade do seu trabalho.? Segundo Birocchi, a matemática, por exemplo, será muito mais ?financeira?, a estatística será voltada para sistemas como o do crédito bancário, e assim por diante.Os cursos são de bacharelado e terão duração de quatro anos, com mensalidades mais baixas em relação aos cursos presenciais. Os valores não estão definidos, mas o diretor adianta que estarão na faixa de R$ 345 a R$ 395. ?Cursos presenciais nas faculdades têm mensalidades entre R$ 500 e R$ 600?, compara Birocchi.Sem desgastePreço menor não é a única vantagem do curso via internet. O aluno não precisa estar na aula num horário específico, num lugar determinado, e não tem o desgaste com o deslocamento até a escola ? que pesa também nos custos de transporte e alimentação. ?Ele acessa o conteúdo no momento mais adequado, desenvolve as atividades e conta com tutoria?, diz o diretor da UVB. As classes virtuais terão no máximo 30 alunos, garante Birocchi, enquanto nas salas ?reais? este número pode chegar a 150 pessoas.Mas nem tudo é melhor para o estudante num curso a distância. É preciso ter disciplina e iniciativa para estudar e cumprir o programa ao longo dos quatro anos. Não há um professor por perto ?puxando? o aluno, nem o contexto das amizades que incentivam os adolescentes. De qualquer forma, a UVB aposta no perfil do seu público, que está acima dos 25 anos de idade.?Nosso aluno é aquele batalhador que saiu cedo de casa, estudou à noite numa escola distante e, por diversas dificuldades, não conseguiu iniciar ou concluir um curso superior?, define Birocchi. ?Ele é esforçado e vai fazer o curso porque o chefe dele confia no seu trabalho, quer que ele faça um MBA para ser promovido e, para isso, precisa da graduação.?Continuar o cursoEsse estudante que teve de abandonar a faculdade poderá aproveitar as disciplinas já cursadas, assegura o diretor. E alguns poderão inclusive tentar a sorte disputando bolsas de estudo integrais. A UVB vai sortear quatro bolsas ? uma para cada curso ?, numa promoção que será lançada na Expo-RH 2003, evento paralelo ao 29.º Congresso Nacional sobre Gestão de Pessoas (12 a 15 de agosto no Anhembi, em São Paulo).Os candidatos aos cursos ? e às bolsas ? devem se inscrever pelo fone 0800-7717577 ou no site da UVB (www.uvb.com.br). As provas, marcadas para novembro, serão feitas nos 50 campi das unidades de apoio em vários Estados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.