<!-- ecarreira -->Novas carreiras despontam na escolha dos candidatos

As listas de relação candidato/vaga das universidades públicas neste ano dirigem os holofotes para cursos novos. Apesar de Medicina se manter entre as mais concorridas, surgem carreiras desconhecidas como Audiovisual e Midialogia. A formação de oficial da Polícia Militar também está em alta: o feminino encabeçou a lista da Fuvest e o masculino ficou entre os dez mais disputados.?A tendência é de uma desconcentração?, diz o assessor da diretoria da Fuvest, Roberto Costa. Segundo ele, a procura por cursos tradicionais como Medicina, Direito e Engenharia diminui ano a ano. No atual vestibular da Fuvest, há 1.656 candidatos a menos nessas três carreiras na comparação com 2002.MidialogiaO curso de Habilitação em Midialogia, criado neste ano pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), ficou atrás apenas de Medicina na lista dos mais concorridos. Outro curso novo da instituição, Farmácia, apareceu em terceiro lugar. ?Os perfis diferenciados dos cursos da Unicamp acabam atraindo muita gente?, diz o responsável pelo vestibular, Leandro Tessler, que se surpreendeu com o interesse pelas novas carreiras.O curso de Midialogia pretende formar profissionais para atuar nas mídias eletrônicas, como som, rádio, fotografia, cinema, televisão, vídeo, computação gráfica e internet. O trabalho pode estar dirigido à elaboração, à produção ou à recepção das obras. Já o curso de Farmácia da Unicamp tem como novidade o fato de ser voltado para a flora medicinal brasileira.Alternativas?O jovem está procurando alternativas porque o mercado está muito competitivo?, diz Karin Parodi, sócia-diretora da Carreer Center, empresa especializada em planejar carreiras de jovens e executivos. ?Por outro lado, as opções de cursos estão maiores e fica mais difícil escolher.?Adriana Katekawa, de 18 anos, desistiu de cursar Direito justamente por acreditar numa maior facilidade na hora de arrumar emprego. Ela está prestando vestibular para Relações Internacionais, curso interdisciplinar que é ministrado parte na Faculdade de Economia e Administração (FEA) e parte na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH), ambas na Universidade de São Paulo (USP).?A carreira é tão ampla que posso atuar em vários campos, desde ONGs até bancos?, diz a vestibulanda. O curso tem 34,58 candidatos para cada vaga neste ano na Fuvest.AudiovisualEntre os mais concorridos da USP, uma das surpresas foi o curso de Audiovisual. Ele surgiu pela primeira vez em terceiro lugar na Fuvest, antes de Jornalismo. Criado em 2000, o curso é dado pela Escola de Comunicações e Artes (ECA) e unifica os conteúdos dos antigos cursos de Rádio e TV e de Cinema e Vídeo.?Os alunos saem preparados para trabalhar em cinema, emissoras, produtoras de vídeo, rádios, portais de internet etc.?, diz Fernando Scavone, coordenador da prova específica do curso.Oficial da PMJá o atrativo do curso mais concorrido da Fuvest, segundo a chefe de Comunicação Social da Academia da Polícia do Barro Branco, Cleodecir Zonato Éder, é a possibilidade de as mulheres terem mesmos salários, chances de ascensão e responsabilidades dos homens. A estabilidade e o salário também contam pontos para a carreira de oficial feminino da PM.Os estudantes da academia recebem R$ 1.100, o mesmo salário oferecido aos soldados, que entram na corporação por concurso público. Os alunos passam cinco anos no Barro Branco e, após a formação, ganham a patente de tenente e a responsabilidade de supervisionar de 30 a 40 pessoas da corporação. A escola é a única do Estado que forma capitães, majores e coronéis.

Agencia Estado,

20 de novembro de 2003 | 16h13

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.