É hora de valorizar o que se sabe

Este não será um domingo qualquer para os 157.808 estudantes inscritos no vestibular mais concorrido do País. A primeira fase da Fuvest 2004 começa às 13h00 (os portões abrem-se às 12h30), com 100 questões de múltipla escolha nas disciplinas de língua portuguesa (20 questões), matemática (12), química (12), biologia (12), história (12), geografia (12), física (12) e inglês (8). Até sexta-feira, recomendam os professores, os candidatos precisam manter o mesmo ritmo de estudo, valorizando as matérias que dominam.No dia anterior ao exame, no entanto, é importante descansar, fazer refeições balanceadas e não esquecer de visitar o local de prova. ?Ir para o vestibular sabendo tudo é impossível, mas fazer revisões ajuda a eliminar as dúvidas e elevar a auto-estima?, aconselha a professora Vera Lúcia da Costa Antunes, coordenadora de geografia do Objetivo. Para ela, o candidato não deve optar por estudar somente as matérias que tem mais facilidade. ?Na primeira fase, todas as questões valem um ponto?, diz.Já o coordenador do Anglo Vestibulares, Ernesto Birner, acredita que não é hora de tentar aprender conteúdos complexos. ?Isso pode deixar o candidato mais inseguro. O ideal é que ele reveja as matérias que domina e tire dúvidas pontuais?, argumenta. ?O aluno deve se preocupar em reforçar aquilo que já sabe.?Manter o ritmoA ansiedade que antecede o exame, segundo os professores, é normal. Mas há algumas dicas para evitar que os vestibulandos cheguem à prova estressados. ?É preciso manter o ritmo de estudo e respeitar os limites do corpo. Não adianta estudar demais agora e estar cansado no dia do exame?, diz Vera Lúcia.O sábado deve ser um dia de descanso. Fazer exercícios físicos leves e passear pode ajudar a controlar a ansiedade. ?Mas muitos candidatos gostam de ler suas anotações e as apostilas. Se trouxer mais segurança, não há restrição?, explica o coordenador do Anglo Vestibulares. ?É importante visitar o local de prova para evitar atrasos no domingo.?Revisar matériasA estudante Carla Pinto Retamales, de 19 anos, tem seguido algumas recomendações dos professores. A dificuldade em administrar o tempo de prova tem a deixado ainda mais nervosa. ?Já tive problemas estomacais e mal-estar por causa disso. Agora, tenho jantado mais cedo para evitar passar mal?, conta Carla.Há dois anos tentando uma vaga para Arquitetura, ela se considera bem preparada para a Fuvest. Mesmo assim, Carla intensificou o ritmo de estudos nesta semana. Das 7h00 às 13h00, ela freqüenta as aulas do cursinho.Depois do almoço, senta na biblioteca e revisa as matérias do dia. Entre os exercícios de revisão e leitura de conceitos, gasta quase oito horas por dia. ?Não tenho mais tempo de preparar as aulas com antecedência, como pedem os professores?, conta Carla.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.