É hora de valorizar o que se sabe

Este não será um domingo qualquer para os 157.808 estudantes inscritos no vestibular mais concorrido do País. A primeira fase da Fuvest 2004 começa às 13h00 (os portões abrem-se às 12h30), com 100 questões de múltipla escolha nas disciplinas de língua portuguesa (20 questões), matemática (12), química (12), biologia (12), história (12), geografia (12), física (12) e inglês (8). Até sexta-feira, recomendam os professores, os candidatos precisam manter o mesmo ritmo de estudo, valorizando as matérias que dominam.No dia anterior ao exame, no entanto, é importante descansar, fazer refeições balanceadas e não esquecer de visitar o local de prova. ?Ir para o vestibular sabendo tudo é impossível, mas fazer revisões ajuda a eliminar as dúvidas e elevar a auto-estima?, aconselha a professora Vera Lúcia da Costa Antunes, coordenadora de geografia do Objetivo. Para ela, o candidato não deve optar por estudar somente as matérias que tem mais facilidade. ?Na primeira fase, todas as questões valem um ponto?, diz.Já o coordenador do Anglo Vestibulares, Ernesto Birner, acredita que não é hora de tentar aprender conteúdos complexos. ?Isso pode deixar o candidato mais inseguro. O ideal é que ele reveja as matérias que domina e tire dúvidas pontuais?, argumenta. ?O aluno deve se preocupar em reforçar aquilo que já sabe.?Manter o ritmoA ansiedade que antecede o exame, segundo os professores, é normal. Mas há algumas dicas para evitar que os vestibulandos cheguem à prova estressados. ?É preciso manter o ritmo de estudo e respeitar os limites do corpo. Não adianta estudar demais agora e estar cansado no dia do exame?, diz Vera Lúcia.O sábado deve ser um dia de descanso. Fazer exercícios físicos leves e passear pode ajudar a controlar a ansiedade. ?Mas muitos candidatos gostam de ler suas anotações e as apostilas. Se trouxer mais segurança, não há restrição?, explica o coordenador do Anglo Vestibulares. ?É importante visitar o local de prova para evitar atrasos no domingo.?Revisar matériasA estudante Carla Pinto Retamales, de 19 anos, tem seguido algumas recomendações dos professores. A dificuldade em administrar o tempo de prova tem a deixado ainda mais nervosa. ?Já tive problemas estomacais e mal-estar por causa disso. Agora, tenho jantado mais cedo para evitar passar mal?, conta Carla.Há dois anos tentando uma vaga para Arquitetura, ela se considera bem preparada para a Fuvest. Mesmo assim, Carla intensificou o ritmo de estudos nesta semana. Das 7h00 às 13h00, ela freqüenta as aulas do cursinho.Depois do almoço, senta na biblioteca e revisa as matérias do dia. Entre os exercícios de revisão e leitura de conceitos, gasta quase oito horas por dia. ?Não tenho mais tempo de preparar as aulas com antecedência, como pedem os professores?, conta Carla.

Agencia Estado,

27 de novembro de 2003 | 15h43

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.