Doze universidades particulares adiam volta às aulas

Entre as federais, Unifesp, UFABC e UFSCar também acatam a recomendação da Secretaria da Sáude. USP, Unesp e Unicamp foram as primeiras a anunciar a decisão.

Elida Oliveira e Mariana Mandelli, Especial para O Estado de S. Paulo

29 Julho 2009 | 16h41

Já são doze as universidades e faculdades particulares paulistas a acatarem a recomendação da Secretaria de Saúde do Estado de adiar o retorno às aulas: Anhembi Morumbi, Cásper Líbero, Centro Universitário FEI, ESPM, Centro Universitário Ibero-Americano, Estácio UniRadial (SP), FGV (Direito e Economia), PUC-SP, Mackenzie, Metodista, Unip e Uninove. A maioria retoma as atividades no dia 17 de agosto. Os estudantes de Administração da FGV voltam às aulas no dia 12; os alunos da Uninove, no dia 11 de agosto. No Mackenzie, os calouros voltam no dia 10 e os demais estudantes, no dia 12.  Na terça-feira, USP, Unesp e Unicamp já haviam divulgado o adiamento do início do segundo semestre para o dia 17. No dia seguinte, as federais Unifesp, UFSCar e UFABC seguiram a mesma tendência (acompanhe a lista atualizada no link abaixo).     Leia mais:   Veja as datas de retorno às aulas das principais instituições paulistas  USP, Unesp e Unicamp adiam volta às aulas  Escolas privadas decidem adiar a volta  Infectologista Granato: 'Transmissão do vírus pode diminuir até 40%'  Infectologista Kalás: 'O vírus não difere escola de shopping ou igreja'  Mudança de calendário divide pais de estudantes  Rio Grande do Sul e Rio também prorrogam férias     Na ESPM, os estudantes de pós-graduação voltam antes dos demais, no dia 10. "Temos duas datas de retorno porque são duas dinâmicas diferentes. Os alunos da pós não tiveram um grande intervalo de convívio porque as aulas avançaram em julho. São também executivos, que permaneceram trabalhando, então não se expuseram a zonas de risco em viagens de férias. Já os alunos da graduação estão no grupo mais jovem, que tem incubação do vírus por até 15 dias e geralmente viaja durante as férias. É uma medida preventiva", disse o diretor nacional de Graduação da ESPM, Alexandre Gracioso.   A Anhembi Morumbi, que havia dito inicialmente que adotaria apenas medidas preventivas, como deixar álcool gel disponível para os alunos nas unidades, decidiu acatar a recomendação da Secretaria da Saúde. "Mediante o aumento de número de casos, inclusive no Nordeste, onde não seria comum a transmissão do vírus da gripe, eu fiz uma consulta ao Ministério da Saúde e colegas médicos. Entendi que, por mais que adotássemos todas as medidas preventivas, o ideal seria evitar o contato entre os alunos", disse o médico e diretor da Escola de Saúde da Anhembi Morumbi, Sergio Timerman. A PUC-SP foi outra instituição que anunciou o adiamento depois de ter afirmado, na terça-feira, que manteria seu calendário. A universidade suspendeu as aulas, já iniciadas, nos câmpus de Santana e Sorocaba, na unidade Ipiranga e no Cogeae, coordenadoria de cursos de especialização e programas de extensão.  Agora, apenas três universidades paulistas da rede privada ouvidas pelo Estadão.edu optaram por manter as datas de reinício do semestre letivo. Faap, FMU, e Uniban retomam as aulas já na segunda-feira, 3 de agosto.      Atualizado às 14h45 de 31 de julho.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.