Doutoranda da USP São Carlos é atingida por galho em câmpus e morre

Universidade decretou luto por três dias; queda teria se dado pela soma da chuva com os fortes ventos

Rene Moreira, Especial para o Estado de S. Paulo,

14 Março 2013 | 14h40

A USP de São Carlos, no interior paulista, decretou luto de três dias em razão da morte de uma estudante 30 anos. Giseli Aparecida Braz de Lima era de Igaraçu do Tietê (SP) e foi atingida na cabeça pelo galho de uma árvore, no final da tarde desta quarta-feira, 13, dentro do câmpus. Ela comia lanche ao lado de outras duas alunas perto da lanchonete no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação quando foi atingida.

O barulho teria sido ouvido um pouco antes e as três correram, mas Giseli foi a única atingida. Uma equipe do SAMU (Serviço Móvel de Atendimento de Urgência) foi acionada e chegando ao local constatou que a universitária tinha sofrido traumatismo craniano e já estava sem vida. Ela cursava doutorado no programa de pós-graduação em Ciências de Computação e Matemática Computacional.

No local existem mesinhas de cimento no meio de muitas árvores, algumas já com idade avançada, e segundo os estudantes é comum a queda de galhos principalmente em época de chuva. Peritos estiveram analisando a área do acidente e detectaram deterioração, talvez pela ação de fungos, no galho que caiu. A queda teria se dado pela soma da chuva com os fortes ventos.

O Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação da USP em São Carlos divulgou nota em que "externa o seu profundo pesar pelo falecimento da aluna". A instituição classifica o ocorrido como "fatalidade" e informa que neste momento está empenhada em dar todo o apoio necessário à família da vítima. A direção do instituto confirmou o luto oficial de três dias, com suspensão das aulas neste período.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.