Dos alunos da USP, 38% já usaram droga ilícita

Entre 38% e 40% dos alunos da Universidade de São Paulo (USP) - o equivalente a quase 15 mil jovens - já experimentaram algum tipo de droga ilícita. Mas cerca de 70% deles tiveram seu primeiro contato com um cigarro de maconha ou com um comprimido de ecstasy antes de ingressar no ensino superior. O álcool é, disparado, a droga mais consumida pelos universitários.Essas são algumas das informações de uma pesquisa divulgada nesta quarta-feira sobre uso de drogas, lícitas e ilícitas, entre os estudantes da mais conceituada universidade do País.Entre as drogas proibidas, a maconha lidera a preferência dos alunos. Nada menos que 35,3% dos entrevistados disseram que já a experimentaram. Quando perguntados se haviam fumado um cigarro de maconha nos últimos 30 dias - considerado uso freqüente - 16,91% disseram sim. No mesmo período, 70,04% dos entrevistados consumiram álcool, e 20,16%, tabaco.A pesquisa, do psicólogo Vladimir de Andrade Stempliuk, ouviu 2.837 alunos da graduação em 2001. Em comparação com dados de 1996, houve um aumento no consumo, principalmente de maconha, inalantes (como lança-perfume e éter) e anfetaminas (como o ecstasy).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.