Doação de instituição líbia derruba diretor da London School of Economics

Ex-diretor da LSE se diz arrependido de ter aceitado contribuição da família de Kadafi; filho do ditador tem tese suspeita de plágio

AP, Reuters e EFE

04 Março 2011 | 10h31

Na noite desta quinta-feira, Howard Davies, diretor da London School of Economics, uma das mais prestigiadas insitituições de ensino do mundo, pediu demissão do cargo. O ex-diretor se declarou responsável por aceitar doação de 350 mil euros de uma instituição controlada por Said el Islam, filho de Muamar Kadafi, que concluiu tese de doutorado na LSE com suspeita de plágio.

 

A decisão foi tomada após manifestações de alunos e editoriais de jornais pedirem a saída de todo o conselho. Howard Davies é membro do conselho do Banco Central Britânico e foi a primeira figura do alto escalão daquele país a cair por ligações com o regime líbio. A London School of Economics teria recebido a verba para ajudar na formação de futuros líderes políticos líbios.

 

Ele admitiu ter cometido um erro pessoal e disse que sua atitude comprometeu a imagem de prestígio da instituição. Ele ainda disse que se arrepende por ter ido pessoalmente a Tripoli prestar consultoria sobre como regime líbio poderia modernizar suas instituições. A tese entregue por Said el Islam ainda está sob análise de fraude por parte da LSE.

Mais conteúdo sobre:
LSE Líbia Kadafi

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.