Dirceu pede a estudantes que pressionem por mudanças

O ministro chefe da Casa Civil, José Dirceu, disse que o mais grave problema que o Brasil tem hoje é a violência que atinge a juventude. Dirceu, durante participação em mesa-redonda do lançamento do Projeto "Memória do Movimento Estudantil", disse que mais de 11 milhões de jovens estão fora da escola e 1,2 milhão são analfabetos."Este é um grande desafio", afirmou. De acordo com ele, o nível educacional no País é muito baixo e o esforço por uma mudança nesta área é uma grande bandeira". Dirceu afirmou também que 97% das crianças estão nas escolas e com merenda escolar, "mas com a qualidade que todos sabemos que é baixa".Ele disse ainda que o movimento estudantil deveria pressionar o Congresso e o governo para transformar o ensino médio e também valorizar o ensino técnico profissional, e ajudar a levar milhões de jovens que estão fora da escola a estudar. Para ele, "não é pouca coisa se conseguirmos fazer isso nos próximos dez anos".Problema sérioPara o ministro, violência, desemprego e educação estão relacionados. "A vida do dia-a-dia não está fácil para a juventude". De acordo com ele, o problema educacional é até mais sério que outros, como a reforma agrária.Ao deixar o evento, o ministro não quis dar declarações sobre temas polêmicos com o a votação do salário mínimo no Congresso e o julgamento da emenda sobre a contribuição previdenciária dos funcionário públicos inativos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.