Dirceu defende constituinte universitária

O ministro-chefe da Casa Civil, José Dirceu, defendeu na manhã desta quarta-feira, em São Paulo, a realização de uma constituinte universitária para que sejam discutidas propostas educacionais que culminem na reforma universitária."Queremos fazer uma discussão de baixo para cima", afirmou ele durante gravação do programa Código de Honra, elaborado pela UniFMU.Dirceu explicou que o governo pretende que essa constituinte universitária funcione realmente como um processo constituinte."Seriam feitos debates, eleitos delegados em todo o País para que se apresentem ao governo e ao Congresso uma proposta. Aí, confrontados diferentes projetos, poderia ser aprovada uma reforma universitária", afirmou ele, ressaltando que a participação de alunos, professores e funcionários da educação têm de atuar ativamente durante o processo.Segundo Dirceu, 11 milhões de jovens estão fora das salas de aula do ensino médio no País. O ministro afirmou que é necessário a aplicação de R$ 6 bilhões no ensino médio.Ao ser indagado de onde viria o dinheiro, respondeu: "Temos de tirar do orçamento, apertar o custeio, evitar aumento dos gastos desnecessários, aumentar a arrecadação com eficiência e fazer a economia crescer."O ministro disse ainda que o governo está convencido da necessidade da política de cotas nas universidades. Mas ressalvou: "Quem decide isso é o Congresso Nacional".

Agencia Estado,

09 de junho de 2004 | 13h59

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.