Dilma diz que novo Fies terá condições de financiamento ‘muito mais leves’

Entre estas condições, estão juros de 3,4% e maior período de carência para o início da amortização

Agência Brasil,

14 Fevereiro 2011 | 10h45

BRASÍLIA - A presidenta Dilma Rousseff afirmou nesta segunda-feira, 14, que o novo Programa de Financiamento Estudantil (Fies) terá condições gerais de financiamento "muito mais leves" - incluindo juros de 3,4% e maior tempo de carência.

 

Veja também:

link Instituições enfrentam problemas com Fies

 

Em seu programa semanal Café com a Presidenta, ela anunciou que o aluno só terá que começar a pagar o financiamento do curso superior um ano e meio depois de formado. Nesse período, segundo Dilma, será possível encontrar um emprego e obter uma renda. Dependendo do curso escolhido na faculdade, como no caso de medicina, o pagamento poderá ser feito em até 20 anos.

 

A presidenta explicou ainda que, caso o aluno que adquiriu financiamento pelo Fies decida fazer um curso de licenciatura e dê aulas em escolas públicas, a dívida no novo Fies será "perdoada", por meio de uma redução de 1% a cada mês de exercício profissional.

 

Outra novidade já anunciada pelo governo é que o programa vai incluir alunos com renda de até um salário mínimo e meio de renda. Antes, eles precisavam arrumar um fiador para ter acesso ao crédito estudantil. "Agora, o próprio governo é fiador", disse a presidenta.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.