FELIPE RAU/ESTADÃO
FELIPE RAU/ESTADÃO

Dicas para escrever bem no vestibular

Conduzir o texto de modo claro e coeso é mais importante do que se esforçar para ser erudito

VIVIANE ZANDONADI- ESPECIAL PARA O ESTADO, O Estado de S. Paulo

14 Maio 2015 | 15h22


O hábito da leitura, sobretudo se cultivado com gosto, ajuda a escrever melhor. Mas não é tudo. Na prova de redação para o vestibular, é recomendável concentrar-se em entender o enunciado, identificar a pauta e o gênero de texto solicitados e a partir daí escolher o que vai ser dito, como será organizado e os motivos que se tem para isso. 

Ainda que consiga perceber no texto se o autor tem um bom repertório - uma vantagem, é claro -, a banca examinadora avalia objetivamente coesão, clareza e estratégias textuais, mais do que erudição, por exemplo. É isso o que nos explica o professor e co-autor do material de redação do Anglo Vestibulares, Eduardo Antonio Lopes. Ele nos ajudou a relacionar cinco pontos importantes para ajudar o candidato a fazer uma boa prova. Veja a seguir.

1. Familiarize-se com o exame que vai prestar

Levante o máximo possível de informações sobre ele. Consulte o manual do vestibular da instituição, identifique o gênero textual pedido - se é dissertação ou outro tipo de texto - e como a instituição costuma apresentar a prova. 

2. Não gaste muita energia tentando adivinhar o tema antes da prova. 

Essa tensão pode desviá-lo do que é importante durante a preparação. Se na hora da redação o enunciado propõe, por exemplo, que o texto discuta a crise hídrica, o fundamental não é despejar de uma vez tudo o que sabe sobre o assunto, mas sim responder algumas perguntas básicas e então começar. a) qual é o gênero... dissertativo?; b) qual é o enfoque, o consumo no sistema produtivo?; c) como eu me posiciono e organizo o texto para defender esse posicionamento?

3. Pratique com regularidade a leitura e a escrita.

Nos exercícios de edições anteriores do vestibular, simule a redação. Respeite o tempo da prova e demais diretrizes, como tamanho, gênero e pauta. Submeta o que escreveu à leitura de alguém que possa comentar e debater. O objetivo é sempre conseguir interpretar bem o enunciado e a partir do que foi pedido mostrar clareza e coesão em seu próprio texto.

4.No momento da prova, pergunte-se: onde quero chegar?

Por que vou escrever isso, o que vou defender e qual é minha intenção? Para responder a essas questões, é importante ler e compreender o enunciado do exercício, fazer um planejamento e organizar ideias usando a favor do texto seu repertório de leitura e argumentação (o que inclui as estratégias textuais para defendê-la, para escrever o que quer dizer), de modo que a redação progrida claramente com começo, meio e fim.  

5.Tente conter a ansiedade e lembre-se.

Mais importante do que preencher todas a linhas com um monte de informações soltas é saber acomodá-las, escolhendo argumentos e trabalhando o texto de maneira coerente. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.