Depois de bloqueio, grevistas liberam acesso à USP

Professores e funcionários da Universidade de São Paulo (USP), que estão em greve há 20 dias, e lideranças estudantis liberaram o acesso à universidade, depois de quatro horas de bloqueio. De acordo com informações da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), o protesto começou às 6h30.Depois de liberar o trânsito, os manifestantes ocuparam a calçada do cruzamento entre a Rua Alvarenga e a Avenida Afrânio Peixoto. Segundo a Polícia Militar, 150 pessoas participaram do protesto.EstudantesCom a adesão dos estudantes da USP à greve dos professores e funcionários das universidades estaduais paulistas, o bloqueio desta terça-feira teve como alvo também os alunos. Líderes estudantis participaram do piquete e barraram a entrada de colegas que pretendiam ir às aulas.Viviane Carvalho, estudante de Letras (primeira foto), foi barrada pelo técnico administrativo Alexandre Pareyn, um dos líderes dos servidores grevistas. Inconformada, ela chorava.A aluna de Arquitetura Julia Zaragoza (segunda foto) era uma das lideranças no bloqueio. Na noite de segunda-feira, os líderes estudantis da USP conseguiram em assembléia aprovar a adesão dos alunos à greve dos professores e funcionários.

Agencia Estado,

15 de junho de 2004 | 13h37

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.