ALEXANDRE MAIA DE CAMPOS
ALEXANDRE MAIA DE CAMPOS

Depoimento: ‘Fiz duas pós e resolvi ficar nos Estados Unidos'

Alexandre Maia de Campos, que cursou pós-graduações na UC Irvine, na Califórnia (EUA)

O Estado de S.Paulo

26 Junho 2018 | 03h00

“Antes da pós, estudei inglês por 14 semanas pois não me sentia confortável em entrar direto nas aulas. Depois, fiz duas pós-graduações e um estágio no ano passado. A primeira foi em International Business Operations and Management, e a segunda, em Project Management. O estágio fiz em uma empresa de fusões e aquisições.

Nunca tinha feito intercâmbio. Minhas viagens ao exterior foram de férias. Tenho 46 anos, sou formado em Ciências Contábeis e tenho MBA em Gestão Financeira e Controladoria. Já tinha ideia do lugar e dos cursos, mas a STB foi determinante no processo de decisão, não só para mim, também para minha esposa. Sem contar a parte burocrática com a UC Irvine, que eles fizeram tudo. Só precisamos assinar o contrato e mandar os documentos.

A experiência (de fazer pós no exterior e levar a família) está sendo muito boa. No começo, é sempre um desafio, em relação à língua, à cultura, aos relacionamentos, à escola. Mas traz recompensas. Depois da adaptação, vem a fase gostosa de exploração. Começamos a conhecer a região e aproveitar o que tem de melhor: praia, montanhas, neve e parques de diversão.

O maior benefício que vejo, depois de quase dois anos aqui, é o ambiente seguro em que vivemos. Também tivemos a oportunidade de mostrar para nossos filhos, Julia, de 14 anos, e Vitor, de 8 anos, a importância dos estudos para a formação educacional e profissional. Passamos momentos divertidos como sairmos todos juntos com mochila nas costas para ir à escola.

Todos estão adaptados. Minha esposa também está estudando. Como é dentista no Brasil, precisa voltar para a universidade para validar o diploma. Decidimos ficar nos Estados Unidos, pois entendemos que podemos oferecer aos nossos filhos uma vida melhor do que no Brasil. Estamos morando em Irvine e estou trabalhando. Apliquei para uma autorização de trabalho chamada OPT (Optional Practical Training), que faz parte do programa de estudos. A ideia é você ter a oportunidade de pôr em prática o que aprendeu. O OPT dura 12 meses.” 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.