Denúncia sobre laboratório leva a processo interno

Após a denúncia do professor Esem Cerqueira ao Ministério Público, o Instituto de Ciências Biomédicas (ICB), responsável pelo laboratório de anatomia que atende a diversos cursos da USP, entre eles Medicina, se comprometeu a trocar o formol pela glicerina para conservar os corpos. O formol é cancerígeno e prejudicial ao meio ambiente. O prazo para a substituição ser completa é 31 de janeiro de 2011.

O ESTADO DE S. PAULO

28 Setembro 2010 | 10h01

 

O autor da denúncia, porém, virou alvo de um processo disciplinar, que está em andamento. Segundo o ICB, a conduta do professor foi “incompatível com seus deveres funcionais”. A Consultoria Jurídica da USP sugeriu uma suspensão de 90 dias.

 

O professor discorda que sua conduta seja antiética e teme que sua punição já esteja definida, antes do processo terminar. “Eles estão confundindo ética com cumplicidade”, diz Cerqueira. “A primeira tentativa interna para tirar o formol foi em 2006, mas as coisas não se resolviam.”

Mais conteúdo sobre:
denúncia laboratório processo ICB USP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.