Debate e cervejada encerram 'Semana do Baseado' na USP

Evento na Cidade Universitária vai arrecadar dinheiro para a Marcha da Maconha

Estadão.edu,

20 Abril 2012 | 12h46

A polêmica Semana de Barba, Bigode e Baseado termina nesta sexta-feira, 20, com debate e cervejada na Cidade Universitária da USP. Organizado por alunos da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH), o evento teve ao longo da semana uma programação diversa. Estudantes fumaram orégano, fizeram "plantão de cultivo" e uma "orgia poética", tudo, segundo eles, para discutir a legalização da maconha e a autonomia sobre o próprio corpo.

 

O debate "Travestis e drogados: (des)marginalizando comportamentos", marcado para começar às 18h, contará com a presença dos professores Heloísa Buarque, que leciona Antropologia e Gênero, e Júlio Simões, professor de Sexualidades e Ciências Sociais. Além deles, participarão da conversa Alexandre Peixe Santos, do movimento LGBT, o músico moçambicano e integrante da congregação Rastafari Ras Haitrm, e representantes da Marcha da Maconha e do coletivo feminista Yabá.

 

Após o debate começará a festa "Queimando o bigode", uma cervejada para arrecadar dinheiro para a Marcha da Maconha, movimento que defende a legalização da droga no Brasil.

 

O local escolhido pelos estudantes é representativo. A programação ocorrerá no estacionamento da FFLCH onde, no ano passado, a Polícia Militar flagrou três estudantes com maconha. Os policias tentaram levar os alunos para registrar a ocorrência, mas dezenas de colegas reagiram e, após confronto com a PM, invadiram o prédio da diretoria da faculdade. Uma semana depois, invadiram o da reitoria da USP.

Mais conteúdo sobre:
USP FFLCH Maconha

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.