RaphaelJeanneret/Pixabay
RaphaelJeanneret/Pixabay

Debate: Antecipar o domínio da escrita é vantajoso?

Terceira versão da Base Nacional Comum Curricular prevê que aos 7 anos as crianças saibam ler e escrever

O Estado de S. Paulo

06 Abril 2017 | 22h20

Apresentada nesta quinta-feira pelo Ministério da Educação (MEC), a terceira versão da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) prevê que, ao fim do 1.º ano do ensino fundamental, ou seja, aos 7 anos, as crianças saibam ler e escrever. É a primeira vez que o Brasil produz o documento - considerado essencial por educadores -, que define o que os alunos devem aprender em cada ano e etapa, da educação infantil ao 9.º ano.

Anna Helena Altenfelder *

Sim. O mundo da escrita é culturalmente construído e as crianças estão inseridas e interagem nesse contexto. E, na educação infantil, elas já têm curiosidades e perguntas sobre a linguagem escrita. São parâmetros muito adequados desde que se tenha em mente duas preocupações: garantir o direito de brincar dessas crianças na implementação da base e evitar a cultura da reprovação, que ainda é muito forte. 

* É SUPERINTENDENTE DO CENPEC

-------------------------------------------------

Maria Carmem Silveira Barbosa *

Não. A educação infantil é o momento da criança aprender a se conhecer, se apropriar do corpo. Ela aprende uma pluralidade de linguagens. Dar valor exacerbado à linguagem escrita é preocupante, porque tira espaço de outros aprendizados fundamentais da etapa. O MEC pega o que é comum nas escolas privadas de São Paulo e quer levar para o Brasil. Quer fazer da exceção a regra. 

* FOI RELATORA DA 1ª E 2ª VERSÃO DA BNCC

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.