Werther Santana/Estadão
Werther Santana/Estadão

Cursos de gestão de resíduos capacitam para a sustentabilidade

Profissionais preocupados com o meio ambiente aprendem a organizar com segurança o descarte de materiais reaproveitáveis

Juliane Freitas, O Estado de S. Paulo

28 Abril 2015 | 01h04

O aumento da rigidez legal em torno do descarte de lixo com a Política Nacional de Resíduos Sólidos, de 2010, vem aumentando a demanda por profissionais que saibam gerir esses materiais de forma sustentável, tanto para a economia quanto para o meio ambiente. Quem mais emprega nesse setor, são, atualmente, os departamentos públicos ligados à coleta e ao tratamento do lixo, empresas privadas que prestam esses serviços e instituições do terceiro setor.

"Os municípios têm que se adequar à política nacional e os setores econômicos também. Temos de ter profissionais nas prefeituras e no setor privado para melhorar o gerenciamento adequado de resíduos", diz o professor coordenador do curso de pós-graduação em Gerenciamento de Resíduos do Senac, Evandro Noro Fernandes.

A primeira turma da especialização atende a um público 80% já atuante na área de meio ambiente, mas também atraiu pessoas interessadas no tema e em uma nova colocação no mercado de trabalho. "Temos pessoas do setor hospitalar, alunos que trabalham em instituições de ensino e empresas do terceiro setor. Um público heterogêneo em termos de capacitação profissional", conta Fernandes.

O entendimento da legislação brasileira sobre o tema é um dos principais ensinamentos do curso, que desenvolve, durante três módulos, disciplinas sobre gestão ambiental, instrumentos públicos e econômicos, caracterização, manuseio e tratamentos dos resíduos sólidos, logística, auditoria e planejamento. 

"O profissional tem de ter uma base ampla tanto em termos de legislação e de como fazer o gerenciamento adequado desses resíduos, visando à reutilização e ao reaproveitamento dos mesmos", acredita Fernandes. 

O mote principal é entender como extrair retorno econômico dos resíduos sólidos, composto de materiais recicláveis e reutilizáveis, e descartar corretamente os rejeitos, que são os materiais orgânicos, de forma menos prejudicial para o planeta. 

No Senac também é possível se aprofundar em um curso livre, o de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos e Industriais, de 60 horas. Na Universidade de São Paulo (USP), o assunto é abordado no MBA em Gestão Integrada de Resíduos Sólidos. 

A Associação Brasileira de Resíduos Sólidos e Limpeza Pública tem calendário de cursos sobre o tema e está com inscrições abertas para o curso de Projetos de Aterros Sanitários com Geossintéticos, que ocorre no dia 20 de maio. 

SERVIÇO

Gerenciamento de Resíduos Sólidos

SENAC

Inscrições: processo seletivo abre em outubro

Investimento: varia de acordo com a unidade do Senac

Gestão Integrada de Resíduos Sólidos e Industriais

SENAC

Inscrições abertas

Investimento: R$ 1.244,00 

MBA em Gestão Integrada de Resíduos Sólidos na USP

Inscrições abertas

Investimento: R$ 27 mil

Vagas: 40 vagas

Projetos de Aterros Sanitários com Geossintéticos

Data: 20 de maio de 2015

Investimento:      Associado ABLP - Individual - R$ 300,00

Funcionário de Associado Coletivo ABLP - R$300,00

Não associado ABLP - R$ 600,00

Estudantes de graduação - R$400,00

Mais conteúdo sobre:
EAD - Ensino a distância educação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.