Críticas são de quem 'não se conforma com sucesso do Enem', diz Lula

Presidente desembarca em Moçambique e mostra irritação com perguntas sobre exame

Tânia Monteiro, enviada especial à Moçambique,

08 Novembro 2010 | 21h49

Irritado com as críticas ao Enem, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva declarou ontem à noite (8), ao desembarcar em Maputo, Moçambique, que não está preocupado com as denúncias sobre os novos problemas com a aplicação da prova.

Na avaliação do presidente, que conversou no Alvorada, domingo à noite, com o ministro Fernando Haddad (Educação, os erros “não afetam” o exame. Ele considerou “um sucesso”, o Enem. "Tem muita gente que quer que afete porque até hoje tem gente que não se conforma com o Enem, mas, de qualquer forma, ele provou que é extraordinariamente bem sucedido", disse o presidente da República. Ele garantiu que o exame continuará a ser aplicado.

Lula disse que a Polícia Federal está investigando a atuação do jornalista de Pernambuco que, nas palavras do presidente, "tentou demonstrar que havia uma fraude ou uma fragilidade do sistema". Para o presidente,"não vai ser um ou outro caso que vai impedir o sucesso do Enem". Na opinião dele, o jornalista "não agiu com seriedade". Questionado sobre erros que também ocorreram em relação à redação e à

qualificação técnica das perguntas, o presidente desdenhou: "Mas nada que tenha causado nenhum problema no resultado nem na prova. Nada".

O presidente contou que o ministro Fernando Haddad pediu para não embarcar para Moçambique com ele, para que pudesse "conversar muito com o MEC”. Encerrando a conversa, Lula afirmou: “O Enem foi um sucesso extraordinário, já que foram mais de 3 milhões de jovens que participaram da prova. O dado concreto é que na conversa que eu tive com o ministro Haddad ontem (anteontem), o sucesso do Enem foi total e absoluto".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.