Cristovam quer que ensino a distância duplique vagas na universidade

O ministro da Educação, Cristovam Buarque, afirmou nesta terça-feira que pretente usar a educação a distância para dobrar o número de vagas em universidades públicas. Essa é uma das propostas do projeto Universidade para o Século XXI, que o ministro apresentou na Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), em Cuiabá."Em 10 anos queremos dobrar número de alunos que ingressam nas universidades", disse ele. "Ninguém deve ficar impedido de estudar porque não tem dinheiro", afirmou o ministro defendendo a participação dos Estados para "financiar a educação que tem que ser pública"."Vivemos uma trágica realidade na educação. Nós temos uma chance única de formular em 4 anos um projeto para os próximos 30 anos", afirmou o ministro.Cristovam comparou o estágio atual das universidades aos conventos de mil anos atrás, onde se deu início ao conhecimento em grande escala, mas que se fechou às novas idéias fazendo com que os pensadores ?pulassem os muros? para construir universidades."A universidade não pode perder a perspectiva de se transformar no mosteiro do século 21", disse ele.Para Cristovam, a universidade "tem de voltar a ser vanguarda na geração do saber, a grande divulgadora do conhecimento, a entidade que vai gerar a possibilidade de realização pessoal dos alunos e voltar a ter sintonia ética com as necessidades do povo"."Nos últimos tempos a universidade perdeu o contato com o ensino básico. A universidade tem o compromisso de formar professores que o ensino básico precisa", lembrou o ministro.

Agencia Estado,

06 de maio de 2003 | 15h24

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.