Valeria Gonçalves/ Estadão
Valeria Gonçalves/ Estadão

Crianças que resistem em voltar para a escola: o que fazer?

Rosely Sayão explica como lidar com a insegurança de parte das crianças para retomar o convívio social

Redação, O Estado de S.Paulo

14 de setembro de 2021 | 10h30

A pandemia de covid-19 e o isolamento social causaram repercussões entre as crianças. Por muito tempo, elas ficaram afastadas da escola e cortaram o convívio presencial com parentes e amigos. Com a melhora nos indicadores da covid-19, parte das atividades foi retomada: as escolas reabriram e espaços de convivência, como parques e praças, voltaram a receber visitantes.

Embora a maioria das crianças estivesse ávida por retornar à escola para brincar com amigos e encontrar professores, há ainda uma parcela com dificuldades nesse retorno aos espaços de convivência ocupados anteriormente. Algumas crianças têm reações físicas intensas ao ir para a escola; outras dizem preferir as aulas remotas. 

O que os pais podem fazer? Como apoiar essas crianças e encorajá-las a retornar? Para falar sobre esse tema, o Estadão realiza nesta terça-feira, 14, uma live com a psicóloga e colunista Rosely Sayão. A live ao será transmitida no Facebook e no LinkedIn do Estadão a partir das 16 horas. Para participar, envie suas perguntas e comentários pelas redes sociais. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.