Criança pode repetir ação da qual é vítima

Conduta pode ser replicada com quem o jovem entende ser mais fraco que ele

Entrevista com

Tania Paris, fundadora da Associação Pela Saúde Emocional

Isabela Palhares, O Estado de S.Paulo

16 Abril 2017 | 05h00

Como o bullying pode afetar a personalidade e a vida futura?

A criança com problemas emocionais pode repetir o comportamento do qual é vítima em casa ou em outro ambiente. Repete com quem ela entende ser mais fraco para buscar se sentir bem. O ponto comum é que a vítima se sente culpada, merecedora do bullying. Já o agressor não sabe conviver com o diferente.

Quem pratica o bullying tem dificuldade de entender os efeitos da ação em outras pessoas?

Bullying quer dizer intimidação. Não é sem querer e se caracteriza pela repetição. Quando temos uma dificuldade, damos resposta positiva ou negativa. O bullying é uma negativa. Denota baixa autoestima do agressor. Por não confiar nele mesmo, agride, consciente ou inconscientemente.

Como lidar com filhos que praticam bullying? Existe um histórico comum entre quem o pratica?

Muitas vezes o agressor é incentivado a cometer a agressão e entra na armadilha: vai se sentir popular fazendo algo ruim e não recebe a ajuda que precisa. Ao auxiliar o agressor, desmontamos o processo. Os pais têm de acolher a criança, compreender o que leva a fazer aquilo. Mas não devem aceitar esse comportamento. 

E como lidar com a vítima?

Precisa de apoio. É raro ela contar tudo. Dá indícios. Quando encontra alguém que a entende, se sente acolhida. Se ela perceber que ninguém tem direito de ameaçá-la, se sentirá segura para contar. 

Mais conteúdo sobre:
Bullying

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.