Criador do Provão diz que MEC regrediu oito anos

O ex-ministro da Educação Paulo Renato Souza criticou nesta quinta-feira a Medida Provisória do MEC que substitui o Provão por um novo sistema de avaliação de cursos superiores e disse, em tom de ironia, estar ?disposto, inclusive, a fazer a redação para o ministro Cristovam Buarque (de um eventual novo texto para mudar a medida publicada terça-feira no Diário Oficial).Criador do Provão, Paulo Renato convocou uma coletiva de imprensa em São Paulo para dizer que, ao contrário do que Cristovam havia declarado anteriormente, a medida extiguiu o exame feito pelos estudantes e não criou nenhuma outra avaliação em seu lugar. ?A MP revoga o artigo que tratava do Provão e não coloca nada no lugar. Eu me senti enganado?, disse. ?Em uma semana o MEC acabou com os centros universitários por decreto e com o Provão por Medida Provisória. Regredimos oito anos.?Embora o MEC reitere que manterá ?as vantagens da avaliação do aprendizado, por intermédio da manutenção dos princípios básicos do Provão?, Paulo Renato diz que esse novo modelo de avaliação só teria valor legal se estivesse previsto na MP. ?Acho que há tempo de corrigir isso.?O tucano disse que parlamentares do PSDB apresentarão emendas à medida do governo. Ele mesmo já tem propostas prontas para ajudar deputados do PSDB. O ex-ministro não contestou o fato de o Provão também ter sido criado por MP e não como projeto de lei, mas argumentou que isso só ocorreu após um debate muito mais profundo na sociedade do que o que teria sido o atual.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.