‘Crescer exageradamente pode comprometer a qualidade’

Além de reitor, Flávio Fava de Moraes foi diretor científico da Fapesp, secretário de Estado de Ciência e Tecnologia e vice-presidente da Associação Internacional de Universidades

Bárbara Ferreira Santos, O Estado de S. Paulo

24 Janeiro 2014 | 03h00

Além de reitor, Flávio Fava de Moraes foi diretor científico da Fapesp, secretário de Estado de Ciência e Tecnologia e vice-presidente da Associação Internacional de Universidades (IAU-Unesco). Hoje, é diretor-geral da Fundação Faculdade de Medicina.

 

Quais os desafios da USP?

O tamanho. Ela está crescendo exageradamente. Isso pode comprometer não só a qualidade, mas a gestão. Outro desafio é melhorar a interlocução com docentes e funcionários.

 

O HC é o principal polo de ensino de práticas médicas no País. É possível crescer?

Tem potencial, mas tem uma questão conceitual. Ele tem como princípio ser hospital universitário. Não é substituir o Estado. Crescer demais tem impacto sobre a qualidade.

 

A USP adotou sistema de bonificação. O senhor é a favor?

Acho que foi um bom avanço e o tempo dirá se deve ser revisto.

 

Leia entrevista na íntegra aqui.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.