ESTADÃO
ESTADÃO

Cremesp lança prova para avaliação periódica de estudantes de Medicina

Prova com duas etapas será aplicada no 3º e 5º ano da graduação e será gratuito e optativo aos alunos e escolas médicas

Isabela Palhares, O Estado de S. Paulo

25 Novembro 2016 | 16h21

SÃO PAULO - O Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp) lançou nesta sexta-feira, 25, o programa Avaliação Periódica do Ensino Médico (Apem), que servirá para medir a progressão do conhecimento dos estudantes de medicina. Gratuita e optativa para as escolas e alunos, a avaliação será feita em duas etapas:  ciclo básico aplicado, aos graduandos do 3º ano; e ciclo clínico, aos estudantes do 5º ano.

Atualmente, a única prova externa na qual os alunos são avaliados é após a graduação - o exame não é obrigatório e, no ano passado, dos 2.726 médicos que a fizeram, 48,1% não acertaram 60% das 120 questões da prova, porcentual mínimo exigido pelo conselho. A reprovação no exame não impede que os médicos exerçam a profissão ou obtenham o registro profissional. No entanto, universidades e hospitais de São Paulo passaram a exigir neste ano o resultado do exame como um dos critérios de seleção para vagas de emprego ou de residência médica. 

"O problema dessa avaliação é que identificamos que houve uma falha na formação desse médico quando ele já está entrando no mercado de trabalho. Por isso, vimos a necessidade de ter uma avaliação que pudesse identificar essas falhas ainda na graduação para que possam ser resolvidas", disse Bráulio Luna Filho, diretor do Cremesp. 

A Apem será elaborada e custeada em parceria com o Instituto de Ensino e Pesquisa do Hospital Sírio-Libanês e serão baseadas no modelo do National Board of Medical Examiners (NBME), dos Estados Unidos. Os testes serão adaptados à realidade do currículo médico brasileiro e contarão com a colaboração dos professores que elaboram o exame do NBME.

"Imaginamos que com essas provas vamos melhorar muito a formação médica, é uma oportunidade das faculdades e dos alunos identificarem suas deficiências", disse Luna Filho. Após a prova, os estudantes e instituições participantes receberão um relatório detalhado com os resultados, que incluirá comparativo de desempenho. 

De acordo com Luna Filho, das 47 faculdades de medicina de São Paulo, mais de 30 já demonstraram interesse em aderir à avaliação. As provas serão aplicadas pela internet, em dia e horário pré-estabelecidos. A primeira avaliação deve acontecer em agosto de 2017, segundo o Cremesp. 

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.