Coursera terá Columbia e mais 16 universidades

Ferramenta que oferece cursos gratuitos na internet tem 1,3 milhão de inscrições e 33 instituições cadastradas

Patrícia Gomes, do Portal Porvir ,

25 Setembro 2012 | 09h39

O Coursera anunciou hoje a inclusão de mais 17 universidades à plataforma, incluindo instituições em Hong Kong, Austrália, Israel e Inglaterra, além das dos EUA e do Canadá. As novas adesões vão oferecer, principalmente, cursos nas áreas de música, medicina e humanidades. Com elas, já são 33 as instituições que usam a ferramenta para oferecer cursos de nível universitário gratuitos pela internet.

Aposta agora é na diversificação. “Estamos orgulhosos da variedade de cursos que vamos oferecer – de ciência da gastronomia” da Universidade de Ciência e Tecnologia de Hong Kong até engenharia financeira e gestão de riscos da Universidade de Columbia. Muitos desses cursos estão traçando novos limites do que se imagina ser possível ensinar on-line”, disseram Daphne Koller e Andrew Ng, fundadores da plataforma, na nota de anúncio das novas adesões. Além dos cursos citados pelos professores, há também outros curiosos como composição musical (Berklee College of Music), narrativas de Hollywood: narrativas, sons e cores (Universidade Wesleyan), misticismo moderno europeu e pensamento psicológico (Universidade Hebraica de Jerusalém) e outros.

O Coursera foi lançado no primeiro semestre por quatro universidades: Princeton, Stanford, Michigan e Pennsylvania. Em julho, outras 12 instituições passaram a fazer parte. No mês passado, assim que ultrapassou o primeiro milhão de inscritos, a plataforma divulgou seus números por países. Depois dos alunos dos Estados Unidos, que representam 38,5% do total, o país que mais tem courserianos é o Brasil, com 5,9% dos inscritos, seguido de Índia (5,2%) e China (4,1%).

Hoje o Coursera já conta com mais de 1,3 milhão de inscrições. Os professores responsáveis pela iniciativa acreditam que ela tem sido capaz de transformar vidas. “Trabalhar com escolas, professores e estudantes nos últimos seis meses tem nos ensinado que a educação on-line tem o incrível poder de reunir pessoas e abrir portas que, de outra forma, teriam permanecido fechadas”, disseram Daphne Koller e Andrew Ng, fundadores da plataforma, na nota de anúncio das novas adesões.

Veja, a seguir, a lista completa de universidades.

Berklee College of Music (EUA)

Escola de Medicina Monte Sinai (EUA)

Universidade da Califórnia, Irvine (EUA)

Universidade da Flórida (EUA)

Universidade de British Columbia (Canadá)

Universidade de Brown (EUA)

Universidade de Ciência e Tecnologia de Hong Kong (Hong Kong)

Universidade de Columbia (EUA)

Universidade de Londres (Inglaterra)

Universidade de Maryland (EUA)

Universidade de Melbourne (Austrália)

Universidade de Pittsburgh (EUA)

Universidade do Estado de Ohio (EUA)

Universidade Emory (EUA)

Universidade Hebraica de Jerusalém (Israel)

Universidade Vanderbilt (EUA)

Universidade Wesleyan (EUA)

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.