Contratos milionários marcam Enem

A dimensão do Enem não se resume ao número de 4,6 milhões de inscritos. Só em gastos fixos, que envolvem impressão, transporte, elaboração e correção, o Ministério da Educação (MEC) assinou contratos que somam, no mínimo, R$ 215 milhões para o Enem 2010.

Leandro Colon, O Estado de S. Paulo

10 Novembro 2010 | 12h42

 

São despesas com gráficas, convênios de aplicação e correção, contratação dos Correios, Ministério da Defesa, Polícias Rodoviária e Federal, entre outros órgãos. Neste ano, as provas foram aplicadas em 128 mil salas de 1.698 cidades.

 

O Enem também é marcado por contratos sem licitação. É o caso da contratação, por cerca de R$ 128 milhões, do convênio Cespe/Cesgranrio, que presta serviço de aplicação e correção das provas deste ano. Os Correios também foram contratados sem licitação, por R$ 18 milhões.

 

Leia também:

 

- Várias provas por ano seria solução

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.