Conselho discutirá 'estrutura do poder' na USP

Eleição para Reitoria é vista como antidemocrática; Rodas, atual ocupante do cargo, prometeu reforma quando era candidato

Estadão.edu,

20 Junho 2012 | 20h01

O Conselho Universitário da USP se reunirá na próxima terça-feira, 26, para discutir a estrutura de poder na universidade. A sessão não terá caráter deliberativo, mas poderá resultar em propostas a serem votadas num futuro encontro do conselho, a instância máxima de decisão da USP. O tema já foi debatido durante reunião em novembro de 2010, segundo informou a Assessoria de Imprensa da Reitoria.

 

Setores da universidade questionam principalmente o processo de escolha dos reitores, visto como ultrapassado e pouco democrático. No primeiro turno, só um em cada três professores vota. A representatividade é ainda mais baixa entre alunos (1 em cada 483 estudantes) e funcionários (1 em cada 220).

 

No segundo turno, um colégio eleitoral ainda menor, com 325 pessoas, escolhe a lista tríplice enviada ao governador. Tradicionalmente é escolhido o mais votado, mas o atual reitor, João Grandino Rodas, ficou em 2.º lugar. Quando era candidato, Rodas e todos os outros sete candidatos prometeram mudanças para as eleições de 2013.

 

Em março, 231 docentes assinaram um "manifesto pela democratização" da universidade, lançado posteriormente no auditório da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo. O grupo pedia a urgente composição de uma estatuinte "livre, democrática e soberana" para reformar o estatuto da USP, de 1972. Para os professores, o documento é "mais afeito ao arcabouço jurídico da ditadura militar do que à Constituição Federal de 1988".

Mais conteúdo sobre:
USP Reitoria

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.