Concurso do Senado tinha 50 questões iguais e na mesma ordem

Outros 30 testes do exame eram diferentes; remuneração inicial para o cargo é de quase R$ 24 mil

Estadão.edu,

19 Março 2012 | 18h45

Cinquenta das 80 questões das provas do concurso para consultor legislativo do Senado eram idênticas e vinham na mesma ordem, independentemente da cor do caderno de testes. A dinâmica do exame, aplicado no dia 11, só mudava a partir da pergunta 51, quando caía conteúdo específico de cada especialidade. Embora as perguntas iniciais fossem iguais, e o gabarito o mesmo, a FGV Projetos, responsável pela organização do processo seletivo, diz que garante a segurança do concurso.

 

O cargo de consultor legislativo reúne 23 funções de assessoramento. O candidato a consultor em agricultura, por exemplo, fez as mesmas 50 questões, na mesma ordem, que o "concurseiro" da área de minas e energia. A remuneração inicial do cargo é de quase R$ 24 mil. São oferecidas 9 vagas e o Senado formará cadastro de reserva.

 

Os testes iguais eram sobre língua portuguesa, conhecimentos gerais, direito constitucional e administrativo, administração e políticas públicas, raciocínio lógico e língua inglesa. Para ser aprovado, o candidato tinha de acertar pelo menos 23 questões dessa parte e outras 18 da parte de conhecimentos específicos.

 

Segundo a FGV, as provas eram quase iguais porque nenhuma especialidade recebeu mais de 5 mil inscritos. A Assessoria de Imprensa da fundação diz que não havia "necessidade" de mesclar as questões porque era "muito baixa" a chance de ter alguém fazendo a mesma prova, na mesma sala. O exame foi aplicado em mais de 5 mil locais em todo o País.

 

Ainda de acordo com a assessoria da FGV, por questão de segurança as provas tinham cores diferentes, o que também serviria para "confundir" os candidatos. Ao todo, 8.607 candidatos concorriam ao cargo de consultor legislativo.

 

Analista

 

As provas para analista de sistemas, analista de suporte de sistemas e enfermagem do concurso do Senado, canceladas após falta de material em Taguatinga (DF), já têm nova data: 15 de abril, das 15h às 20h30. Segundo a FGV, os candidatos serão comunicados individualmente da reaplicação das provas.

 

São 7 vagas para analista de sistemas, 3 para analista de suporte de sistemas e 5 para enfermagem, com salário de R$ 18.440,64.

 

Nesta segunda-feira, 19, o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, comparou a falha no concurso do Senado aos problemas na aplicação do Enem. "O Enem é uma prova para 5 milhões de pessoas. Problemas acontecem mesmo quando uma instituição respeitada faz uma prova para 10 mil pessoas", disse, em São Paulo.

 

* Atualizada às 21h20

Mais conteúdo sobre:
Concurso Senado

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.