Comissão do Senado do Chile aprova fim do lucro no setor educacional

Medida é uma das demandas dos manifestantes estudantis

Estadão.edu

31 Agosto 2011 | 17h13

A comissão de Educação do Senado chileno aprovou nesta quarta-feira, 31, um projeto de lei que prevê o fim do lucro educacional no país, uma das principais demandas do movimento estudantil nos protestos dos últimos meses. A informação é da agência Ansa.

Dos cinco senadores da comissão, Ena von Baer, do partido UDI (o maior nas duas casas do Congresso) e ex-porta-voz da campanha do presidente Piñera, foi a única contra a medida. Durante a votação, estiveram presentes o ministro da Educação, Felipe Bulnes, e membros da Confederação dos Estudantes do Chile (Confech).

Na capital Santiago, relata a Ansa, cerca de 50 estudantes ocuparam a sede do Ministério de Educação ocomo forma de protesto contra reunião que líderes estudantis manterão com o presidente Piñera neste sábado (3).

Eles ainda reivindicavam, segundo a Ansa, a saída do ministro do Interior, Rodrigo Hinzpeter, a quem classificaram como "assassino" por conta da morte por policiais de Manuel Gutiérrez, de 16 anos, no último dia 26.

Mais conteúdo sobre:
chile, educação, lucro, senado

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.