Comissão anula 11 questões do Enade

Medida atinge questões que, segundo a imprensa, faziam propaganda do governo Lula

Lisandra Paraguassu, O Estado de S. Paulo

05 Dezembro 2009 | 14h52

O Exame Nacional de Desempenho do Estudante (Enade) de 2009 terá 11 questões anuladas por problemas de redação e formulação. A decisão foi tomada pela comissão que faz as diretrizes da prova, mas ainda não foi comunicada oficialmente ao Instituto Nacional de Estatísticas e Pesquisas Educacionais (Inep), do Ministério da Educação.  A comissão considerou que as perguntas tinham enunciados dúbios, que podiam induzir ao erro. As anulações se concentram nas provas de Comunicação Social. Nas questões 18 e 19 de comunicação em geral, 30, 33 e 35 de jornalismo, 33 e 37 de publicidade, 34 e 36 de relações públicas e 34 e 38 de cinema, qualquer resposta passará a ser considerada correta. A prova foi analisada depois que reportagens apontaram questões que faziam propaganda do governo. Uma delas é a 19, que dizia que o presidente Lula havia sido criticado pela imprensa brasileira por ter considerado a crise econômica mundial uma "marolinha", mas hoje a imprensa internacional confirmava sua previsão. Outra questão polêmica não foi anulada. Ela falava de uma campanha do governo para diminuir o uso de sacolas plásticos, como forma de proteger o ambiente, e perguntava a razão de a iniciativa ter sido um "sucesso". O Enade foi realizado no mês passado por 1 milhão de alunos.  

Mais conteúdo sobre:
pontoedu enade

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.