Werther Santana/AE
Werther Santana/AE

Com abstenção alta, termina prova da Fuvest

Prova da primeira fase foi aplicada neste domingo para cerca de 123 mil candidatos

Estadão.edu

28 Novembro 2010 | 18h33

Terminou às 18h deste domingo, 28, a aplicação da primeira fase do vestibular da Fuvest, que seleciona alunos para a USP e a Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo. A organização do exame não registrou nenhum incidente.

 

Dos 132.993 inscritos, 7,79% (cerca de 10.360 candidatos) não compareceram ao local de prova. Os estudantes concorrem a 10.652 vagas na USP e 100 na Santa Casa.

 

Os candidatos tiveram cinco horas para responder a 90 questões de múltipla escolha sobre português, matemática, história, física, geografia, química, biologia e inglês, além de algumas questões interdisciplinares.

 

Ao fim da prova, os estudantes disseram que a parte de exatas foi a mais difícil. "Caiu muita trigonometria em matemática. Achei a prova bem exigente", disse o técnico em eletrônica Leandro Leite, de 23 anos, que tenta uma vaga em Ciências Contábeis e fez o exame no câmpus da Uninove na Barra Funda.

 

Por volta das 14h30, a coordenadora da Fuvest, Maria Thereza Fraga Rocco, disse que o vestibular 2011 já era "um grande sucesso". "Foram meses e meses elaborando esse processo. A gente fica tenso antes e durante a prova. Só dá para relaxar muito depois", afirmou a professora.

 

A prova de primeira fase foi aplicada em 109 locais no Estado de São Paulo e nas capitais Belo Horizonte, Brasília e Curitiba.

 

De acordo com a fundação, 10.816 se inscreveram para fazer o exame. Entre os inscritos, 54.445 optaram pela área de humanas, 36.674 escolheram exatas e 41.874, biológicas.

 

Leia também:

 

- Abstenção na Fuvest é de 7,79%, número maior do que no ano passado

- 'Fuvest 2011 já é um grande sucesso', diz coordenadora

- Professores do Objetivo comentam prova, ao vivo, às 21h, na TV Estadão

- Acompanhe a cobertura pelo blog do 'Estadão.edu'

Mais conteúdo sobre:
FuvestVestibularFuvest 2011

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.