Código Florestal e crise na Europa podem cair na Fuvest

Professores de história e geografia dizem que temas da atualidade costumam motivar questões no vestibular

Carlos Lordelo, do Estadão.edu,

05 Janeiro 2012 | 21h22

Temas da atualidade servirão de linha condutora de questões sobre geografia, inglês e até história na segunda fase da Fuvest, que começa neste domingo. Da bolsa de apostas dos professores constam os acontecimentos mais marcantes de 2011, como a crise econômica na Europa e nos Estados Unidos, a Primavera Árabe e, no Brasil, a reforma do Código Florestal.

 

O supervisor de geografia do cursinho Anglo, porém, alerta os estudantes para o perfil da prova. “Os conceitos da ciência geográfica não são deixados de lado. A banca só usa assuntos atuais como pano de fundo”, diz Paulo Roberto Moraes.

 

Segundo o professor de história do Colégio Stockler Jackson Farias, a Fuvest busca analisar a postura dos candidatos perante os “grandes episódios”. “O estudante deve redigir um texto crítico e profundo, mas não enciclopédico, sobre o que lhe é solicitado.” Ele ressalta a importância de se ler atentamente os enunciados para entender os comandos, que variam entre “comparar”, “analisar” e “explicar”.

 

Lúcia Helena de Souza, docente de inglês no Cursinho da Poli, diz que caem duas questões de sua matéria na etapa discursiva da Fuvest, com questões feitas em português. “O candidato deve encontrar textos que saíram em publicações britânicas ou americanas.”

 

A segunda fase vai de domingo a terça-feira. Estão em disputa 10.852 vagas na USP e 100 na Santa Casa. Cerca de 31,5 mil estudantes estão classificados.

 

Veja mais dicas para as questões de geografia da 2.ª fase da Fuvest:

 

Rui Calaresi

Professor de geografia do Cursinho da Poli

 

1. Até sexta-feira, os candidatos podem fazer uma revisão leve dos conteúdos, não aprofundar os estudos;

2. A prova do segundo dia tem questões interdisciplinares. Geralmente, geografia cai com história e biologia;

3. Já a prova específica, no terceiro dia, costuma versar sobre a questão ambiental e a geografia econômica;

4. Aposto em questões baseadas na reforma do Código Florestal, ou problemas ligados a enchentes, ou uso de agrotóxicos no campo;

5. Mas não basta saber o fato em si. O aluno precisa relacionar o conhecimento dos assuntos à ciência geográfica.

 

 

Paulo Roberto Moraes

Supervisor de geografia do cursinho Anglo

 

1. Não abra os livros e cadernos no sábado. A véspera da prova é para descansar e se concentrar;

2. A Fuvest não faz uma prova de conhecimentos gerais do que tem sido notícia nos jornais, mas usa temas da atualidade para cobrar a ciência geográfica;

3. A prova é bem equilibrada entre temas da geografia do Brasil e mundial;

4. O novo Código Florestal e a construção da Usina de Belo Monte podem cair, assim como as revoltas no mundo árabe;

5. A atividade vulcânica no Chile, por exemplo, pode motivar uma questão sobre a estrutura geológica do cone sul.

 

Veja mais dicas para as questões de história da 2.ª fase da Fuvest:

 

Elias Feitosa

Professor de história do Cursinho da Poli

1. Tome a primeira fase como referência para saber o que pode ser abordado na prova da segunda etapa. O que já caiu provavelmente ficará de fora;

2. Por exemplo: não caíram Antiguidade Clássica, Brasil Colônia e Brasil Império, nem história da América;

3. As respostas precisam ser organizadas: ter começo, meio e fim. São como mini-redações;

4. A banca quer respostas concretas, objetivas, sem floreios. Ela não quer saber se você decorou nomes e datas;

5. No terceiro dia as questões trazem mais recursos visuais, como mapas, pinturas e fotografias.

 

 

Jackson Farias

Professor de história do Colégio Stockler

 

1. Se quiser revisar o conteúdo nas vésperas, faça questões que já caíram nas provas de segunda fase dos últimos anos;

2. A hora não é de procurar em livros didáticos assuntos que você acha que não sabe;

3. A prova quer que o aluno tenha postura crítica frente aos grandes episódios da história;

4. Mesmo a prova do terceiro dia não costuma ser muito específica, ou seja, não exigem do aluno conhecimento profundo da matéria;

5. Preste atenção nos comandos dos enunciados. As questões podem pedir que você comente, explique, compare e analise, por exemplo.

 

Veja mais dicas para as questões de inglês da 2.ª fase da Fuvest:

 

Patrícia Senne dos Santos

Supervisora de inglês do cursinho Anglo

 

1. Só cai inglês no segundo dia de provas. São duas questões e uma delas é sempre baseada em texto. A outra pode ser feita a partir de um cartum ou tirinha;

2. O texto vem de publicações prestigiosas, como a Time, a Newsweek, a Economist;

3. Leia a pergunta antes de ler o texto, porque ela já sinaliza o que você deve buscar.

4. Antes de ler o texto, também preste atenção à fonte e à data de publicação, ao título e aos recursos não verbais;

5. Deve cair um texto sobre um acontecimento marcante do ano passado. E não se preocupe em traduzir todas as palavras, porque o contexto sugere o que os trechos obscuros para você podem significar.

 

Lúcia Helena de Souza

Professora de inglês do Cursinho da Poli

 

1. O aluno pode esperar um texto que circulou em jornais ou revistas britânicos ou americanos por volta de julho do ano passado;

2. Portanto, fique de olho em temas em discussão naquela época do ano;

3. Não se apavore diante de vocabulário novo. Se você entender o contexto, acaba sabendo o que as palavras desconhecidas podem significar;

4. As respostas, em português, não precisam ser longas;

5. É legal que, na resposta, você escreva um trecho traduzido do texto.

 

 

* Texto atualizado às 22h10 para inserir mais dicas de professores

Mais conteúdo sobre:
FuvestVestibularSegunda fase

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.