Gabriela Bilo/Estadão
Gabriela Bilo/Estadão

Cinema, educação e espanhol são temas de cursos livres em Cuba

Ilha caribenha tem muito a oferecer além da tradicional graduação em Medicina; pós-graduação ainda só é possível pela Capes

Natália Cacioli, especial para o Estado, O Estado de S. Paulo

24 Janeiro 2015 | 16h00

Com a histórica reaproximação entre Estados Unidos e Cuba, as atenções se voltam mais ainda para a ilha caribenha. Destino turístico elogiado, Cuba também é conhecida pela tradição de boas escolas e universidades, caso da graduação em Medicina. Mas o repertório vai além, e há opções de cursos nas áreas de produção audiovisual, educação e ensino de espanhol para estrangeiros. 

Atualmente, a única possibilidade de fazer pós em Cuba é por meio de um acordo bilateral entre a ilha e a Comissão de Aperfeiçoamento de Pessoal do Nível Superior (Capes), do Ministério da Educação, que oferece bolsas de estudo. Desde 2008, o programa realiza intercâmbio de estudantes de doutorado e pós-doutorado de universidades brasileiras da área de ciências biológicas, como Medicina Veterinária e Zoologia, e de ciências humanas, como Educação e Política Educacional. Hoje há 11 bolsistas brasileiros em Cuba, e não há previsão de abertura de novo edital para inscrições. Segundo o conselheiro comercial da Embaixada de Cuba no Brasil, Raciel Proenza, o governo cubano estuda a possibilidade de autorizar o autofinanciamento para pós.

Cinema. Enquanto isso não acontece, o interessado pode fazer cursos de produção audiovisual em uma das escolas mais renomadas da área, a Escuela Internacional de Cine y Television. “La Escuela” oferece um curso regular de três anos e há de quatro a seis vagas para brasileiros. 

O roteirista Marcelo Müller terminou o curso em 2001 e hoje tem uma carreira premiada. Além de ter seu filme Infância Clandestina pré-indicado ao Oscar, ele foi o único roteirista brasileiro a receber o prestigiado Prêmio Coral de Roteiro Inédito de Havana. “A escola é um espaço excepcional para o crescimento do artista. Além de ensinar sobre as ferramentas, ela permite uma reflexão profunda sobre a sua inserção no mundo como cineasta.”

Em educação, a agência de turismo Lions Tours formulou pacotes para estudantes interessados em feiras e congressos. A ideia deu certo e a agência passou a oferecer cursos de extensão em Pedagogia na Universidade de Holguín e um programa de visitas a escolas cubanas com palestras na Universidade de Havana – ambas com menos de um mês de duração.

E para quem quer fazer turismo e aprender, a dica é um curso de espanhol oferecido pela agência Experimento. Nas duas semanas de aulas, o aluno também aprende dança caribenha ou música e pode ficar hospedado na casa de uma família em Havana, Santiago de Cuba ou Trinidad.

Persistência. Longe dos destinos típicos de intercâmbio do brasileiro, encontrar informações sobre cursos em Cuba não é fácil. Poucas agências e instituições no Brasil têm parcerias com centros cubanos, portanto é necessário entrar em contato direto com a universidade ou escola de interesse. 

Segundo a diretora de Produtos e Operações da agência Experimento, falta interesse no país caribenho e por isso a informação é escassa. Nos últimos dois anos, por exemplo, a sua agência enviou apenas quatro brasileiros para o curso de espanhol em Cuba. O país exige visto, mas o procedimento é rápido e simples. 

Serviço:

Produção audiovisual

Descrição: Curso regular na Escuela Internacional de Cine y TV

Duração: Três anos

Custo: 15 mil euros (R$ 45.300) 

Site: cuba-cursos.org

Educação

Descrição: Extensão em Pedagogia na Faculdade de Holguín

Duração: Duas semanas

Custo: US$ 1.980 (R$ 5.140) 

Site: lionstours.com.br

Espanhol

Descrição: Aulas de espanhol com música ou dança

Duração: Duas semanas

Custo: A partir de US$ 671 (R$ 1.740)

Site: experimento.org.br

Mais conteúdo sobre:
cuba cursos cinema educação espanhol

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.