China proibirá professores de bater ou humilhar alunos

A China revisará sua lei de proteção demenores com o objetivo de proibir os professores de insultar,bater ou humilhar seus alunos, informou a agência estatalXinhua. A emenda, que tramita na sessão em curso do comitêpermanente da Assembléia Nacional Popular (Legislativo), adverte queos profissionais que descumprirem a norma poderão ser expulsos deseus cargos e receber multas administrativas e outras sanções,dependendo da gravidade de sua infração. Em 2004, um estudante de 17 anos se suicidou após ser humilhadopor seu professor diante de seus companheiros. Um ano depois, umapesquisa revelou que 81,45% dos estudantes da escola primáriaconsideravam os insultos que recebiam dos professores o problemamais sério. A minuta da emenda também proíbe as escolas de prolongar o tempode estudo e os deveres dos estudantes, para que tenham tempo parapraticar esportes e dormir as horas necessárias de sono. Na China, muitos pais forçam seus filhos a fazer aulas de apoiopara que obtenham melhores notas nas provas, altamente competitivas,e consigam ser admitidos em escolas prestigiosas. Além disso, para aumentar a segurança pessoal dos alunos, adireção acadêmica terá que disponibilizar primeiros socorros eassistência médica em caso de acidente durante qualquer atividadeescolar.

Agencia Estado,

24 de agosto de 2006 | 12h50

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.