Cem milhões de mulheres jovens são incapazes de ler, afirma Unesco

Segundo pesquisa feita entre 2013 e 2014, 175 milhões de meninos e meninas de países em desenvolvimento não leem uma só frase; desse total, 61% são mulheres

EFE

10 Março 2014 | 18h29

Cerca de 175 milhões de jovens de países de média e baixa renda são incapazes de ler uma só linha - e a maior parte deles, 100 milhões, é mulher. O dado foi divulgado nesta segunda-feira, 10, pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) para chamar a atenção para a necessidade de colocar a igualdade de gênero no centro da nova agenda mundial de desenvolvimento.

A Unesco reforçou o "grave desequilíbrio entre os gêneros" que sofre a educação em escala mundial. Segundo dados de 2011, apenas 60% dos países alcançaram a paridade no ensino primário (chamado de fundamental no Brasil) e 30% no caso do ensino secundário (ensino médio). Essas porcentagens se reduzem a 20% e 10%, respectivamente, no caso dos países de baixa renda.

De acordo com a Unesco, as meninas dos países árabes são as que se encontram em pior situação, seguidas pelas da Ásia Meridional e Ocidental e da África Subsaariana.

"Com as tendências atuais, a previsão é que apenas 70% dos países alcançarão a paridade no ensino primário em 2015 e apenas 56% conseguirá no segundo ciclo", informou a organização, em comunicado.

"É simplesmente intolerável que as meninas fiquem para trás. Para as meninas pobres, a educação é uma das vias mais poderosas em direção a um futuro melhor, que as ajudará a escapar do círculo vicioso da pobreza", afirmou em nota a diretora-geral da Unesco, Irina Bokova.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.