Capes premiará as melhores teses

Como forma de estimular as pesquisas acadêmicas, a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes/MEC) editou a Portaria nº 97, de 21 de dezembro de 2005, criando o Prêmio Capes de Tese (PCT) e o Grande Prêmio Capes de Tese (GPCT). As duas modalidades destacarão as melhores teses de doutorado aprovadas em bancas examinadoras nos cursos e programas de doutorado reconhecidos pelo MEC, em todas as universidades brasileiras. Os prêmios serão concedidos anualmente.Até 31 de março, as pró-reitorias de pós-graduação devem encaminhar à Capes no máximo uma tese por área do conhecimento. Para o concurso, considera-se área do conhecimento aquela com um representante nomeado pela Capes. Cada Grande Prêmio receberá o nome de um cientista ilustre, brasileiro ou que tenha sido radicado no Brasil, já falecido, cuja pesquisa se enquadre no conjunto em que a premiação é concedida. A cada ano, serão homenageados novos cientistas.Os critérios de premiação serão a originalidade do trabalho, sua relevância para o desenvolvimento científico, tecnológico ou social, e o valor agregado pelo sistema educacional ao candidato. A seleção terá início no Programa de Pós-Graduação, que indicará uma tese defendida no ano anterior que atenda aos requisitos do prêmio e a encaminhará em formato eletrônico e com autobiografia sintetizada do aluno à respectiva pró-reitoria. A Capes constituirá uma comissão de premiação, para cada área do conhecimento, presidida pelo representante da área e composta por mais dois membros.A primeira concessão está marcada para julho, por ocasião da comemoração do 55º aniversário da Capes, quando o PCT será concedido em cada uma das áreas do conhecimento que tenha um representante nomeado pela Capes. Os trabalhos premiados nessa modalidade serão inscritos para o GPCT, que vai escolher três teses, uma de cada conjunto de grandes áreas."O primeiro conjunto de áreas engloba ciências biológicas, ciências da saúde e ciências agrárias. O segundo, engenharias e ciências exatas e da terra. E o terceiro, as áreas de ciências humanas, lingüística, letras, artes e ciências sociais aplicadas e na área de ensino de ciências", explica o diretor de Avaliação da Capes, Renato Janine Ribeiro. As pró-reitorias terão papel fundamental na escolha dos participantes, para que cada instituição não mande mais do que uma tese para cada representação de área. "Mesmo que uma instituição tenha três doutorados em odontologia, por exemplo, só poderá mandar uma tese para concorrer ao prêmio. Isto torna muito grande a responsabilidade da pró-reitoria", explica Janine.Prêmios O PCT consiste em diploma, medalha e bolsa de pós-doutorado nacional de um ano para o autor da tese e, para o orientador, auxílio equivalente a uma participação em congresso nacional ou igual soma de recursos aplicáveis no custeio de projeto. Já o GPCT dará ao autor, além do diploma e da medalha, uma bolsa de pós-doutorado internacional de um ano e ao orientador um auxílio equivalente a uma participação em congresso internacional ou igual soma de recursos aplicáveis no custeio de projeto aprovado. As duas modalidades incluem distinção a ser outorgada ao programa em que foi defendida a tese.Informações: http://www.capes.gov.br/capes/portal/.

Agencia Estado,

11 de janeiro de 2006 | 15h58

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.