Capes premia pós de qualidade com R$ 2,7 milhões

Os programas de mestrado e doutorado com conceituação mais alta na Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), os chamados cursos de conceitos 6 e 7, terão um crédito suplementar e seus coordenadores poderão decidir como e em que aplicarão os recursos. Esta maior autonomia funcional é uma forma de prêmio."É a forma como podemos valorizar mais a qualificação dos programas, é a maneira como a própria comunidade, os próprios pares vêem os seus melhores programas", disse o presidente da Capes, Jorge Almeida Guimarães.No total, serão R$ 2,7 milhões extras repassados por meio do Programa de Excelência na Pós-Graduação (Proex) a 149 programas de pós-graduação com os maiores conceitos, que vão de 1 a 7. Estes cursos representam 7% do total avaliado pela Capes e envolvem pelo menos 3 mil alunos.Cem programas têm conceito 6 e 49 têm conceito 7. A maior parte dos programas bem conceituados está na Região Sudeste. No mês que vem a Capes e os coordenadores desses cursos terão encontro no Rio de Janeiro para discutir a liberação do dinheiro.Cotas de bolsasA Capes vai divulgar nos próximos dias a distribuição das cotas de bolsas para os programas de pós-graduação referentes a 2004. A prioridade neste ano está nas engenharias e áreas tecnológicas, para adaptar a formação de recursos humanos à política industrial do governo.A relação com o número de bolsas para cada universidade, curso a curso, e as áreas consideradas importantes estarão no site da Capes (www.capes.gov.br) no início da próxima semana.

Agencia Estado,

27 de abril de 2004 | 17h26

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.