Capes libera contratação de bolsistas como professores

Bolsistas dos cursos de mestrado e doutorado vão ser poupados da difícil escolha de permanecer com o benefício ou trocá-lo pela oportunidade de ser contratado como professor substituto em instituições de ensino superior. O presidente da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), Jorge Almeida Guimarães, anunciou que vai acabar com a restrição que condiciona a contratação à suspensão da bolsa concedida pelas agências federais de fomento à pesquisa.O teor da portaria vai ser discutido em Brasília, nesta terça-feira, em um encontro com o presidente do Conselho Nacional de Desenvolvimento e Tecnológico (CNPq). ?Temos um grande número de professores pedindo aposentadoria e precisamos preencher os quadros. Além disso, o aluno de mestrado e de doutorado é o melhor candidato para os concursos de professor substituto. Todo mundo vai ganhar com o fim dessa restrição?, disse Guimarães.ReavaliaçãoA medida faz parte de uma série de propostas que o novo presidente, empossado há duas semanas, pretende adotar para lidar com distorções e as disparidades do sistema de pós-graduação brasileiro, no qual o número de matrículas é o dobro do número de bolsas concedidas.?Os recursos são muito pequenos. Vamos fazer de tudo para aumentá-los, mas precisamos buscar também outras formas para melhorar o sistema?, argumentou o diretor da Capes. Mais de 70% do orçamento deste ano da Capes, que é de R$ 507,7 milhões, vai ser destinado ao pagamento dos benefícios. ?A verba não acompanha o crescimento da demanda?.A reavaliação das bolsas concedidas no exterior é outra medida que ele pretende lançar mão para corrigir as imperfeições existentes. No ano passado, foram 1.499. ?Há instituições cobrando taxas escolares anuais no valor de US$ 25 mil. Vamos procurar aquelas que não cobram essas taxas. A Alemanha e os países nórdicos, por exemplo?, afirmou Guimarães.Bolsa e aposentadoriaEnquanto os bolsistas de pós-graduação que ainda não ingressaram na docência têm motivo para comemorar, quem já é professor e quer se candidatar para bolsas de mestrado e doutorado deve saber que o novo diretor da Capes é contra a concessão deste tipo de benefício.?Sou inimigo deste programa: dar bolsa para quem já está na universidade há muitos anos, nunca fez mestrado ou doutorado e, depois que faz, entra com o pedido de aposentadoria?, opinou, acrescentando que esse é um recurso comum em instituições de todo o País. ?Isso não ocorre apenas na região Norte?, alertou, informando que a Capes libera hoje 3.800 bolsas para este tipo de aluno.Guimarães falou sobre esses assuntos na Coordenação dos Programas de Pós-graduação de Engenharia (Coope) da Universidade Federal do Rio de Janeiro, no Campus do Fundão, zona norte do Rio, onde ministrou aula inaugural nesta segunda-feira.

Agencia Estado,

02 de março de 2004 | 11h37

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.