Candidatos reclamam da distância até o local do Enem

Há casos de estudantes que foram colocados em escolas que ficam a 50 quilômetros de casa

Simone Iwasso e Mariana Mandelli,

23 Setembro 2009 | 19h53

Candidatos que vão prestar o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) reclamam da distância entre suas residências e os locais de prova determinados pelo Inep, órgão responsável pelo exame. No momento da inscrição, que foi realizada somente pela internet, o candidato informava o endereço completo. Não havia opção por uma preferência de área.   "Fiz os cálculos e vou levar duas horas e meia para chegar na prova", afirma a vendedora Sheila de Araújo, de 32 anos, que pretende usar o Enem para conseguir uma vaga no ensino superior por meio do ProUni (Programa Universidade para Todos). Moradora do Butantã, zona oeste da capital, ela vai ter de se deslocar até a Escola Estadual Prof. Dr. Décio Ferraz Alvim, em São Rafael, zona leste.   Sem carro, percorrerá os 43 quilômetros com ajuda de três ônibus, um metrô e ainda caminhar um trecho. Ela tem medo de perder a hora da prova. "Sem contar que em fins de semana (dias marcados para o Enem), o transporte público demora muito mais."   O comerciante João Barrozo, de 57 anos, pai de uma garota de 17, vai ter que levar a filha até o Jardim Ângela. Ele é morador da Vila Mariana. "Isso é um absurdo. É longe demais, são mais de 50 quilômetros", afirma. Ele entrou em contato com o Ministério da Educação (MEC) e a resposta que obteve foi que, ao fazer a inscrição, ele próprio escolheu o colégio. "É mentira, não havia nada disso."   O ex-estudante de engenharia Douglas da Silva, de 34 anos, que pretende voltar à faculdade, recebeu a mesma resposta. "Disseram que a distribuição é por ordem alfabética", afirma. Ele mora no Tatuapé, zona leste, e vai realizar o exame no centro. "Tem muitos colégios e faculdades no meu bairro, não entendo porque escolher um distante."   O Inep informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que procura colocar os estudantes para fazerem a prova em local próximo ao endereço indicado na inscrição. No entanto, devido à procura, é possível que alguns sejam deslocados para bairros mais distantes, mas sempre no mesmo município. Segundo o instituto, não houve mudança de logística em relação aos anos anteriores e não será possível alterar o local de prova.

Mais conteúdo sobre:
educação pontoedu enem

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.