Candidata baiana vai procurar MPF para se queixar do Enem

Candidatos em Salvador (BA) sofreram menos com o trânsito no domingo

Eliana Lima, Especial para o Estadão.edu

07 Novembro 2010 | 15h47

Candidata do Enem em Salvador, Roberta de Matos decidiu prestar queixa à polícia por sentir-se prejudicada pelo erro no cabeçalho do gabarito do exame. Ela pretende ainda procurar o Ministério Público Federal para se queixar contra o Ministério da Educação (MEC), pedindo anulação do Enem.

"Me senti prejudicada por eles (o MEC)", disse.

 

Os candidatos baianos que se submetem ao Exame do Nacional do Ensino Medio (Enem) neste domingo, 7,  segundo dia de provas, enfrentaram menos trânsito e um pouco mais de tranquilidade para chegar ao local das provas. No sábado, houve correria em razão dos longos congestionamentos nas imediações das escolas onde são aplicados os testes.

Os inscritos fazem provas de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias, Redação e Matemática e suas Tecnologias, cada uma com 45 questões, além da redação. Existe quase unanimidade entre os candidatos ao cansaço provocado pelas provas, consideradas longas em relação ao tempo disponível para cada questão.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.