Câmara aprova ProUni, mas reduz número de bolsas

A medida provisória que institui o Programa Universidade para Todos, o ProUni, foi aprovada nesta quarta-feira à noite pela Câmara. Ela estabelece que alunos carentes de instituições particulares poderão ganhar bolsa integral ou parcial. Uma emenda do PFL acolhida pelos parlamentares alterou a MP e reduzirá o número de bolsas nas universidades privadas. Segundo o relator da medida provisória, deputado Irineu Colombo (PT-RS), o número de bolsas vai cair, por causa da emenda, de 10% para 7%. "Muitos brasileiros pobres vão perder vagas", declarou Colombo. Pelos cálculos do relator, seriam criadas pela MP 112.000 vagas nas escolas privadas, mas, com a mudança introduzida pela emenda do PFL, serão menos de 70.000.Já em vigor, a MP estabelece que podem se candidatar às bolsas do ProUni os estudantes que tenham cursado o ensino médio completo em escolas da rede pública ou em instituições privadas na condição de bolsista integral. Os beneficiários da MP são os alunos de cursos de graduação e seqüenciais de formação específica, além dos portadores de necessidades especiais e estudantes que atuem como professores de educação básica. As primeiras bolsas serão distribuídas já no primeiro semestre letivo de 2005 e o estudante, para se inscrever, terá de participar do Enem de 2004.

Agencia Estado,

01 de dezembro de 2004 | 22h44

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.