Buarque pede "radicalidade nas idéias" e "tensão ideológica"

O ministro da Educação, Cristovam Buarque, provocou hoje os estudantes e professores a debaterem e serem mais críticos em suas posições. "Se houvesse um golpe militar, no Brasil ou na Argentina, nenhum aluno ou professor seria preso. E isso me preocupa", disse no Seminário Universidade XXI, em Brasília. A afirmação, que ele classificou como "provocativa", foi feita ao defender a necessidade de as universidades buscarem novas utopias e da urgência no debate de idéias, travadas entre diferentes correntes. "É preciso ter uma tensão ideológica."Buarque argumentou não haver um debate de propostas diferentes para a sociedade. "Hoje as forças conservadoras não têm nenhuma razão para ter medo de nada que esteja sendo dito nas universidades". Dizendo considerar as idéias predominantes conservadoras, ele disse que "se houvesse um golpe militar, o único movimento que teria presos seria o MST".

Agencia Estado,

26 de novembro de 2003 | 20h11

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.