Briga entre alunos e professor da Unicamp termina na delegacia

Segundo os estudantes, professor queria aplicar prova sobre temas que não foram ensinados por causa da paralisação das atividades na universidade

Janaína Ribeiro, Especial para O Estado

13 Julho 2016 | 15h53

Uma briga entre um professor da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e alunos da instituição  na segunda-feira, 11, terminou na delegacia. A confusão começou quando o docente de Física, Ernesto Kemp, tentou aplicar uma avaliação. Os estudantes reclamaram, alegando que o conteúdo da prova não foi ensinado por causa da suspensão das atividades acadêmicas na universidade desde o dia 10 de maio, quando começaram as paralisações.

Em um vídeo publicado nas redes sociais, dois alunos aparecem na porta da sala aula, discutindo com o professor, que insistia em aplicar a prova e entrar na classe. O docente não aceitou o argumento dos alunos e, segundo testemunhas, ameaçou os alunos e cometeu injúrias sexistas e racistas. 

A aluna de Ciências Sociais, Carol Bononi, que estava no momento da discussão, reclamou da agressividade do professor ao pegar o celular da mão de uma estudante que estava fazendo a gravação do vídeo. “Eu tentei separar ele, quando partiu pra cima da colega que estava gravando, acabou machucando minha mão e meu braço está cheio de hematomas e escoriações”. Carol afirma que Kemp utilizou palavras discriminatórias e empurrou os alunos.

De acordo com a advogada do diretório central dos estudantes (DCI), Cristiane Anizeti, os alunos fizeram exame no Instituto Médico-Legal e prestaram queixa na delegacia de polícia em Campinas e na Delegacia de Defesa da Mulher já que o caso foi registrado como lesão corporal contra duas alunas.

Segundo a advogada, foi pedido à Unicamp que abra sindicância para apurar os excessos de professores, funcionários e alunos faça uma revisão do calendário geral de aulas, após a paralisação que suspendeu os conteúdos que deveriam ser aplicados em sala. “A Unicamp se torna corresponsável com estes conflitos”, diz Cristiane.

A assessoria da Unicamp informou em nota que tomou conhecimento do vídeo por meio das redes sociais e aguarda a formalização de denúncia para tomar as medidas necessárias. Ainda em nota, informou sobre uma reunião que acontecerá na tarde desta quarta, 13, entre representantes da reitoria e do Sindicato dos Trabalhadores da Unicamp (STU), para tratar das reivindicações dos funcionários.

Procurado, o professor Kemp não atendeu as ligações da reportagem.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.