World Skills/Divulgação
World Skills/Divulgação

Brasileiros disputam final mundial de ensino profissionalizante em Londres

País mandou 28 representantes para evento, que reúne mil estudantes de 51 nações

Mariana Mandelli, Enviada especial

04 Outubro 2011 | 19h07

LONDRES - Começou hoje a 41ª edição do WorldSkills, competição internacional de ensino profissionalizante. Neste ano, participam cerca de mil estudantes de 51 países – entre eles, o Brasil, que mandou 28 representantes para o evento.

O WorldSkills é o maior torneio de educação profissional do mundo e ocorre a cada dois anos. Os participantes enfrentam situações que simulam o cotidiano de suas respectivas profissões e devem realizar as tarefas nos prazos indicados e dentro de padrões internacionais de qualidade. 

A cerimônia de abertura ocorreu no O2 Arena, centro de eventos de Londres, e contou com a participação das delegações dos países competidores e representantes do governo, como o vice-premiê britânico Nick Clegg.

Neste ano, a avaliação inclui 46 profissões. O Brasil tem representantes em 25 delas: aplicação de revestimento cerâmico; confeitaria; construção de moldes; desenho mecânico em CAD; design gráfico; eletricidade industrial; eletricidade predial; eletrônica industrial; fresagem CNC; instalação e manutenção de redes; joalheria; marcenaria; mecânica de refrigeração; mecatrônica; polimecânica; robótica móvel; sistema de transporte da informação; soldagem; tecnologia da informação; tornearia CNC; webdesign; cabeleireiro; técnico em enfermagem; serviço de restaurante e cozinha.

Os representantes brasileiros são de Minas, São Paulo, Distrito Federal, Paraná, Alagoas, Rio, Rio Grande do Sul, Rio Grande do Norte e Bahia. 

Concentração. Apesar da expectativa para o início das provas, que começam nesta quarta-feira, os competidores do Brasil se dizem tranquilos.“Quero só que comece logo para eu mostrar o que eu sei. Estou tranquila”, diz a mineira de Belo Horizinte Priscila Teixeira, de 22 anos. 

Competindo na área de confeitaria, ela terá que fazer marzipãs modelados, chocolates, sobremesas empratadas e esculturas de açúcar – os estudantes tem acesso ao que devem desenvolver durante os dias de competição.“Treinei de 12 a 14 horas por dia. Estou preparada”, diz ela, que é formada pelo Senai.

Daniela Mello, de 21 anos, também confia no seu preparo. Nos últimos dois anos, ela só treina – cerca de oito horas por dia. Daniela é formada no curso de cabeleireiro. Suas atividades no WorldSkills compreendem corte, coloração e penteado em manequins com cabelo natural. “Eu estava nervosa antes de me ambientar, mas agora estou calma”, disse ela. 

As provas vão acontecer simultaneamente no centro de convenções ExCel London. De acordo com a organização, este é o maior evento já realizado no local.

O WorldSkills 2011 termina no sábado. A premiação ocorre no domingo. 

* A repórter viajou a convite do Senai/ CNI

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.